Exposição apresenta arte captada por satélites

12 de março de 2007 • 08h12 • atualizado às 12h30
Devido ao desmatamento em Madagascar, as chuvas das monções arrastam terra e sedimentos ao rio que desemboca na Baía de Mahajanga, onde formam ilhas ... Foto: BBC Brasil
Devido ao desmatamento em Madagascar, as chuvas das monções arrastam terra e sedimentos ao rio que desemboca na Baía de Mahajanga, onde formam ilhas (em vermelho e verde na imagem) que estão obstruindo um dos principais portos do país
12 de março de 2007
Foto: BBC Brasil

Márcia Bizzotto

Londres


Uma série de fotos captadas por satélites pela Associação Helmholtz de Centros de Pesquisas, da Alemanha, foi transformado em obras de arte e estará exposto no quarteirão da União Européia, em Bruxelas, até o dia 29 de junho.

» Veja mais fotos

Entre molduras de madeira negra, 26 fotografias de 12 metros quadrados realizadas pelos satélites da associação compõem a exposição "A Terra como obra de arte".

As imagens mostram desertos, glaciares, vulcões, montanhas e cidades de todo o mundo desde perspectivas científicas, com formas e cores que remetem a pinturas modernistas.

"Essas imagens oferecem uma vista impressionante da grande variedade de paisagens que existem na Terra e, ao mesmo tempo, proporcionam dados essenciais para ajudar os cientistas a melhorar nosso entendimento dos ciclos terrestres", afirma o presidente da Associação Helmholtz, Jürgen Mlynek.

Beleza e utilidade

Cientistas de várias áreas utilizam diariamente os dados captados por esse tipo de fotografia em pesquisas de alta importância para a União Européia, como as que medem as mudanças na camada de ozônio e as variações de poluentes no oceano, diz Mlynek.

Os resultados dessas pesquisas são fundamentais para a elaboração de políticas de meio-ambiente, energia e agricultura.

"O destaque da exposição, uma foto aérea de um campo de cereais na província de Castilla-La Mancha, na Espanha, foi utilizada para verificar a eficiência do sistema de irrigação e a qualidade do solo nessa região especialmente árida", diz Mlynek.

Formada por 15 centros, a Associação Helmholtz é a maior instituição de pesquisas da Alemanha e se dedica às áreas de energia, meio-ambiente, transporte, espaço, saúde e novas tecnologias.

BBC Brasil - BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »