Gregos descobrem pintura rara do século XVII

28 de fevereiro de 2007 • 12h49 • atualizado às 14h42
Ícone de São João Batista, contendo miniaturas de cenas de sua vida, foi pintado em 1646 por Emmanuel Tzanes Foto: AP
Ícone de São João Batista, contendo miniaturas de cenas de sua vida, foi pintado em 1646 por Emmanuel Tzanes
28 de fevereiro de 2007
Foto: AP

Restauradores gregos que limpavam um ícone bizantino mantido há muitos anos em uma igreja provincial do país descobriram que, na realidade, o artefato é uma obra de valor inestimável criada por um famoso pintor do século XVII. Ocultado durante séculos sob uma capa ornamentada de prata, a pintura de São João Batista, contendo miniaturas de cenas de sua vida, ostenta a data de 1646 e é assinada por Emmanuel Tzanes.

Tzanes é considerado um dos maiores artistas de sua geração, e suas obras figuram em museus de todo o mundo. "Isto é muito importante", disse a jornalistas na quarta-feira o ministro da Cultura grego, George Voulgarakis, ao apresentar o ícone. "Este ícone está sendo registrado pela primeira vez sob o nome de Tzanes."

Representantes do Ministério disseram que o ícone deve ter sido recoberto com a camada de prata por volta de 1760, deixando apenas os rostos visíveis aos fiéis, que há séculos oram diante dele e o beijam, sem saber seu valor. O São João é mostrado contra um fundo dourado, enquanto 12 cenas distintas de sua vida - desde sua concepção até sua decapitação e enterro - se espalham pelas laterais e o fundo do ícone, que mede 1,22 metro por 1,03 metro.

"Sua forma austera e um pouco distante, o olhar intenso e expressivo, revelam a personalidade imponente e profundamente moral de um santo asceta", disse a especialista do Ministério da Cultura Constantina Skarmoutsou. Tzanes, que além de pintor foi sacerdote e teólogo, nasceu na ilha de Creta em 1610, mas, mais tarde, trabalhou na ilha de Corfu e em Veneza, onde morreu, em 1690. Mais de 100 de seus trabalhos sobreviveram, mas apenas metade está assinada e datada.

Voulgarakis disse que, quando a restauração for concluída, o ícone será devolvido à sua igreja na cidade de Kranidi, no Peloponeso, onde serão adotadas medidas especiais de segurança para sua proteção.

Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »