Plâncton é menos eficaz do que se acreditava na absorção de CO2 no Pacífico

30 de agosto de 2006 • 16h02 • atualizado às 16h02

O fitoplâncton pode ser consideravelmente menos eficaz do que os cientistas acreditavam até agora na absorção do gás carbônico no oceano Pacífico, de acordo com um estudo divulgado nesta quinta-feira pela revista britânica Nature.

A cada ano, estas minúsculas plantas marinhas que se alimentam principalmente de dióxido de carbono (CO2) em águas tropicais do Pacífico, absorveriam uns 2,5 milhões de toneladas a menos que o indicado em estudos anteriores, afirmam os pesquisadores da universidade americana Corvallis (Oregon) liderados por Michael Behrenfeld.

Os cientistas consideram ainda que a quantidade de carbono absorvido pelo plâncton no oceano Pacífico, que libera mais CO2 na atmosfera que em qualquer outra parte do globo, poderia ser superestimado pelos estudos com base em imagens de satélite.

Michael Behrenfeld e sua equipe coletaram amostras de plâncton nesta região durante doze anos se baseando na fluorescência emitida por estes organismos para avaliar o crescimento.

ea/dm/mvv AFP 301429 AUG 06

AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »