Harvard anuncia projeto de clonagem de embriões humanos

06 de junho de 2006 • 15h05 • atualizado às 20h09
Cientistas deram início a uma pesquisa para clonar embriões humanos como forma de obter células-tronco Foto: EFE
Cientistas deram início a uma pesquisa para clonar embriões humanos como forma de obter células-tronco
06 de junho de 2006
Foto: EFE

Cientistas da Universidade de Harvard disseram na terça-feira ter dado início a uma pesquisa para clonar embriões humanos como forma de obter células-tronco. O financiamento da pesquisa é totalmente privado para driblar restrições federais a pesquisas desse tipo.

Eles afirmaram ter submetido o trabalho a um longo processo de análise para garantir que ele esteja de acordo com padrões éticos e que não haja nenhum envolvimento de recursos federais.

"Nosso objetivo de longo prazo é criar células-tronco embrionárias a partir de tecidos do paciente, corrigir os defeitos genéticos e recolocar as células consertadas nos pacientes", disse George Daley, do Children''s Hospital de Boston.

As pesquisas com células-tronco embrionárias são polêmicas porque, para obtê-las, é preciso destruir o embrião. Em 2001, o presidente norte-americano, George W. Bush, restringiu o uso de verbas federais a um número limitado de conjuntos de células-tronco já existentes.

A comunidade científica protestou, afirmando que as células-tronco embrionárias têm o potencial de transformar totalmente a medicina.

Especialistas acreditam que um dia possa ser possível remover um pouco de pele do paciente e reprogramar suas células para que virem tecidos ou órgãos perfeitamente compatíveis, tratando doenças como o mal de Parkinson, por exemplo.

As pesquisas com células-tronco também podem ser usadas para esclarecer o mecanismo de doenças como câncer, diabetes e problemas genéticos.

As células-tronco embrionárias são especialmente poderosas, porque podem se transformar em qualquer tecido do corpo. Também podem ser cultivadas em laboratório, tornando-se praticamente imortais.

O Congresso dos Estados Unidos está dividido quanto à questão. Os defensores desse tipo de pesquisa querem utilizar mais verbas federais, e os opositores querem simplesmente proibi-la.

O campo de pesquisa também foi abalado por escândalos, como o do cientista sul-coreano que admitiu ter fraudado suas pesquisas. Vários grupos já afirmaram ter clonado bebês humanos, mas nunca demonstraram provas concretas.

Os pesquisadores de Boston querem usar a tecnologia de clonagem para produzir embriões que seriam usados como fonte de células-tronco.

O processo, chamado transferência nuclear, envolve a retirada do núcleo de uma célula do corpo, da pele, por exemplo, e sua colocação em um óvulo humano. O óvulo então é reprogramado para que cresça como um embrião.

Outra maneira de clonar embriões é usando o núcleo de uma célula retirada de um embrião de uma semana. Daley afirmou que é aí que a pesquisa vai começar, utilizando embriões remanescentes de uma clínica de reprodução humana de Harvard.

"Usar uma célula embrionária em vez de uma célula da pele aumenta as chances do sucesso da transferência nuclear, porque o núcleo da célula embrionária é muito mais fácil de reprogramar que o núcleo da célula de pele", disse ele.

"Isso permitirá que respondamos a algumas dúvidas básicas da biologia de células-tronco, além de nos tornarmos tecnicamente competentes na criação de linhagens de células-tronco."

Várias empresas privadas estão trabalhando com o mesmo objetivo, assim como cientistas da Grã-Bretanha.

Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »