Cobra explode ao engolir jacaré nos Estados Unidos

05 de outubro de 2005 • 19h48 • atualizado em 06 de outubro de 2005 às 10h35
Cobra e jacaré travaram um violento combate Foto: AP
Cobra e jacaré travaram um violento combate
05 de outubro de 2005
Foto: AP

Uma cobra de quase quatro metros de comprimento engoliu um jacaré de dois metros e explodiu, depois do que parece ter sido um violento combate travado até a morte entre dois dos mais perigosos predadores de Everglades, a zona pantanosa da Flórida, nos Estados Unidos. A serpente era da espécie píton, considerada uma das maiores do mundo.

  • Veja foto da cobra ampliada

    Os guardas-florestais que fotografaram os restos dos dois répteis disseram que o combate mostra a ameaça que representa para o frágil ecossistema de Everglades a crescente população destes ofídios birmaneses, uma espécie estranha à região.

    As pítons, que acredita-se terem sido usadas como animais de estimação e abandonadas por seus donos, se multiplicaram nos pântanos e, por isso, os ecologistas temem que se apoderem do local, alimentando-se de espécies nativas. A recente descoberta sugere que as enormes serpentes representam um desafio até para os jacarés, os principais predadores dos Everglades.

    O biólogo Skip Snow, que trabalha no parque, descreveu a cena em uma área afastada do parque nacional, onde a píton de quase quatro metros "aparentemente" devorou um jacaré inteiro. "Digo 'aparentemente', porque a cauda e as patas traseiras do jacaré morto saíam por um buraco na metade do corpo da píton morta", contou Snow, que encontrou os dois animais em 27 de setembro.

    "Embora tenham sido encontrados alguns ossos de sua mandíbula, a cabeça da píton não estava no lugar", completou ele, acrescentando que "o estômago da píton envolvia a cabeça, ombros e patas dianteiras do jacaré". "Quando tiramos o jacaré da serpente, (seu corpo) estava quase intacto, à exceção por duas feridas abertas, uma no crânio por trás dos olhos e outra no ombro", disse o biólogo, que não sabe como a serpente arrebentou e morreu.

    Em 2003, diante do olhar atônito dos turistas, uma píton travou um violento combate com um jacaré, que a deixou escapar. Em 2004, aconteceu outra luta parecida.

    Os funcionários do parque capturaram dezenas de pítons birmanesas nos Everglades em anos anteriores e treinam um cão da raça Beagle, apelidado de "Pete Píton", para rastreá-las.

  • AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
     
    Enviar para amigos
    Fechar por:
    Enviar para amigos
    Fechar por:

    Imprimir

    Fechar
    Mais vistos

    Notícias

    1. Carregando...
    leia mais notícias »