Cientistas cogitam colisão da Terra com asteróide em 2034

18 de abril de 2005 • 07h16 • atualizado às 07h16

Uma equipe internacional de astrônomos advertiu que a força gravitacional da Terra pode atrair um enorme asteróide em sua passagem perto do planeta em 2029 e modificar assim sua órbita, o que poderia provocar uma forte colisão entre ambos alguns anos depois.

Segundo publica nesta segunda-feira o jornal britânico The Times, o asteróide, batizado como 2004 MN4 e que passará a uma distância entre 24 mil e 40 mil quilômetros da Terra, não representa um perigo real por enquanto, mas se sua órbita se desviar poderia se chocar com o globo terrestre por volta do ano 2034.

A impossibilidade de prever o comportamento de 2004 MN4 pode ter conseqüências catastróficas ao não permitir aos especialistas prevenir o choque, de grande impacto e que causaria danos em grande escala.

"Não sabemos de que é feito o asteróide e em que medida sua órbita será modificada pela gravidade da Terra", explica a The Times Benny Peiser, especialista em asteróides da Universidade de Liverpool (norte da Inglaterra).

Diante de essa incapacidade de prever o perigo, alguns cientistas assinalaram que seria útil identificar o asteróide colocando um rádio-farol de resposta, que indique sua posição a todo momento e permita tomar medidas rápidas em caso de emergência.

Segundo Peiser, seria possível mandar uma missão de astronautas ao espaço para "marcar" o asteróide em 2012, quando este se encontrará a uma distância de cerca de 17 mil quilômetros da Terra.

"Esta missão não é muito complicada nem custosa e poderia nos oferecer uma informação vital", explicou o especialista da Universidade de Liverpool.

O 2004 MN4 foi detectado em junho passado e sua órbita foi traçada em dezembro pelos cientistas, que estimaram que as possibilidades que se choque com a Terra em 13 de abril de 2029, quando seu rastro poderá ser visto de alguns pontos do planeta, são de uma em um total de 38.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »