Derretimento de geleiras afetará 40% da população

04 de junho de 2007 • 12h44 • atualizado às 16h29

O futuro de milhões de pessoas em todo o mundo será afetado pelo derretimento da cobertura de gelo, dos mares de gelo e de geleiras causado pelo aquecimento global, segundo relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) divulgado nesta segunda-feira, em Tromso, na Noruega.

» ONU: cresce derretimento de geleiras
» Geleiras do Himalaia podem sumir

O relatório estima que 40% da população mundial poderá ser afetada pelo derretimento da neve e de geleiras nas montanhas da Ásia.

Problemas semelhantes também serão enfrentados por países, comunidades e fazendeiros em regiões que variam dos Alpes aos Andes, passando pelos Pireneus (cadeia de montanhas entre a França e a Espanha), segundo o relatório.

Entre os impactos previstos pelo relatório do Pnuma estão mudanças na disponibilidade de água potável e para a agricultura, aumento do nível do mar, que afetará áreas costeiras e ilhas, e o aumento de problemas como afundamento de terras que atualmente estão congeladas.

O diretor-executivo do Pnuma, Achim Steiner, fez o alerta no lançamento do relatório anual da ONU sobre gelo e neve: Perspectiva Global para Gelo e Neve.

Tecnologia
O relatório, que envolveu o Pnuma e uma rede de cerca de 70 dos melhores especialistas do mundo, foi produzido como parte do apoio ao Ano Polar Internacional (IPY, na sigla em inglês), que ocorre entre 2007 e 2008.

O estudo reconhece que muitos povos não têm os recursos financeiros e a tecnologia necessários para uma adaptação a estas novas condições. Muitas partes do mundo estariam mal preparadas para o ritmo das mudanças causadas pelo aquecimento global.

"O relatório destaca que o destino dos locais gelados, em um mundo cujo clima está prejudicado, deveria ser causa de preocupação em cada ministério, em cada diretoria, em cada sala do mundo", disse Steiner.

"O relatório de hoje deve dar poder ao público para que ele leve os políticos ao trabalho e deve encorajar o público a perguntar o quanto (o mundo) deve esquentar antes que tomemos uma providência", acrescentou.

O documento também destaca áreas onde será necessário mais esclarecimento e que serão um dos principais alvos do Ano Polar Internacional, uma iniciativa da Organização Meteorológica Mundial e do Conselho Internacional para a Ciência (do qual o Unep é parceiro).

Groenlândia
Entre as áreas citadas no relatório estão Groenlândia e Antártida, onde estão concentrados 98% da água potável da superfície da Terra, e o possível destino do gelo das duas áreas.

O derretimento total da capa de gelo da Groenlândia iria desencadear um aumento do nível do mar estimado em sete metros.

O derretimento de apenas 20% da Groenlândia e o derretimento de 5% da Antártida resultaria em um aumento do nível do mar que ficaria entre quatro e cinco metros.

Esta é a possibilidade nos próximos séculos se os gases de efeito estufa não forem reduzidos no século 21 e isso pode acontecer mais cedo ainda se o ar e a água do mar, que estão esquentando, continuarem a desestabilizar partes das camadas de gelo, segundo o relatório.

Baseado na população atual do mundo, a elevação do nível do mar em apenas um metro iria expor 145 milhões de pessoas a enchentes, caso não sejam tomadas medidas de adaptação. A população da Ásia seria a mais atingida.

O relatório também cita outro caso: por exemplo, um aumento de 2º C da temperatura deve causar impacto em várias cadeias montanhosas cobertas de neve.

Para cada grau de aumento na temperatura, a linha de neve deve se mover acima das montanhas em 120 metros no Chile e 150 metros nos Alpes.

BBC Brasil - BBC BRASIL.com - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC BRASIL.com.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »