Por que é perigoso mãe e filho terem RH diferente?

30 de setembro de 2003 • 09h55 • atualizado em 01 de outubro de 2003 às 08h56
Mãe com bebê chorando Foto: Terra
Mãe com bebê chorando
19 de agosto de 2003
Foto: Terra

Olá, sempre ouvi dizer que é muito perigoso quando a mãe e seu bebê tem fator RH diferente. Vocês poderiam me explicar por que?
Abraços, Helen

Primeiro temos que saber que a simples diferença no fator RH não torna uma gravidez perigosa. Isto só acontece quando o bebê possui fator RH positivo no sangue e a mãe é RH negativo. Esta combinação de fatores pode dar origem a doença hemolítica do recém-nascido ou eristroblastose fetal.

Vamos por passos para explicar melhor. Até o fim da gravidez, em intervenções cirúrgicas, aborto e parto, pode ocorrer intercâmbio de sangue entre o feto e a mãe. Como o organismo dela não reconhece o fator RH, acaba gerando anticorpos contra o sangue positivo, da mesma maneira que nosso corpo produz para defender-se de um vírus.

Em uma segunda gravidez, se o bebê possui de novo RH positivo, os anticorpos existentes no sangue da mãe, gerados na primeira gravidez, atacarão os glóbulos vermelhos do bebê, destruindo-os e provocando um síndrome que pode ser grave e até causar a morte do feto. Nesse caso, as mulheres grávidas precisam tomar uma vacina para evitar que seus anticorpos ataquem o organismo do bebê. Trata-se da imunoglobulina anti-D que só pode ser administrada sob receita e indicação médica. São utilizadas diferentes doses dependendo do critério do especialista em obstetrícia.

Com a aplicação da vacina, uma durante a 28ª semana da gravidez, ainda que não se saiba se o bebê é positivo ou negativo, e outra nas 72ª semanas após o nascimento, evita-se a geração de anticorpos anti RH na mãe e problemas na próxima gravidez. A incompatibilidade sanguínea entre mãe e filho pode acontecer quando o pai possui RH positivo.

Redação Terra
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »