0

Especialista prevê que corais desapareçam neste século

6 jul 2009
22h39
atualizado às 22h52

Os recifes de corais desaparecerão neste século se as emissões de dióxido de carbono (CO2) não forem reduzidas drasticamente, advertiu nesta segunda-feira um painel de especialistas, em uma reunião realizada na Royal Society de Londres.

O encontro, organizado pela Sociedade Zoológica britânica, pelo Programa Internacional sobre o Estado dos Oceanos (IPSO, na sigla em inglês) e pela Royal Society, teve o objetivo de identificar alvos e fixar prazos concretos de atuação.

A previsão dos cientistas é que, antes de 2050, seja alcançada uma concentração de CO2 na atmosfera de 450 partículas por milhão (ppm), um ponto "a partir do qual os corais podem chegar à extinção em questão de décadas".

"O nível seguro de CO2 que deveríamos perseguir é de 320 ppm, porque agora sabemos que 360 ppm é o nível no qual os recifes deixam de ser viáveis em longo prazo", afirmou o professor John Veron, um dos principais especialistas do mundo em recifes.

Vernon se mostrou pessimista sobre a capacidade dos políticos de responderem a este desafio.

Se a situação continuar assim, o analista assegurou que "o que agora consideramos um ano ruim, será um ano normal em 2030 e um ano muito bom em 2050", e acrescentou que "a situação continuará piorando, antes de melhorar, façamos o que façamos".

EFE   
publicidade