publicidade
02 de dezembro de 2010 • 19h59 • atualizado às 20h23

Pesquisadores ainda não sabem como nova vida foi possível

Felise Wolfe-Simon (à esq.), líder da pesquisa no Mono Lake, comentou que estudo ainda está em estágio incial
Foto: Divulgação
 

A equipe de pesquisadores que liderou a coletiva de impresa da Nasa, realizada às 17h desta sexta-feira, afirmou que ainda não é possível saber como substituição do fósforo pelo arsênio aconteceu no novo micro-organismo encontrado no Mono Lake, na Califórnia.

Para Felise Wolfe-Simon, pesquisadora que descobriu a nova forma de vida, todas as evidências encontradas até o momento ainda estão em um estágio muito inicial. "Não estamos sugerindo que exista um mundo todo novo de seres constituídos pelo arsênio. Não é isso. Tudo ainda é muito novo", afirmou.

Astrônomo: Nasa mostra que ETs podem estar entre nósClique no link para iniciar o vídeo
Astrônomo: Nasa mostra que ETs podem estar entre nós

A Nasa anunciou nesta quinta-feira a descoberta de uma nova forma de vida, diferente de todas conhecidas até hoje. Agora, os pesquisadores descobriram que essa forma de vida contém arsênio até no DNA. Segundo os pesquisadores, a descoberta aumenta as chances de se descobrir vida fora da Terra.

Redação Terra