7 eventos ao vivo

Nova câmera revela imagem detalhada da Nebulosa da Pata do Gato

25 set 2013
07h01
atualizado às 07h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
<p>Primeiras imagens científicas do instrumento ArTeMiS mostram a região de formação estelar da nebulosa</p>
Primeiras imagens científicas do instrumento ArTeMiS mostram a região de formação estelar da nebulosa
Foto: ArTeMiS/ESO / Divulgação

Recém-instalado no telescópio APEX (Atacama Pathfinder Experiment), um novo instrumento chamado ArTeMiS acaba de divulgar suas primeiras imagens científicas - e elas mostram o brilho da Nebulosa da Pata do Gato em detalhes. A ArTeMiS é uma nova câmara de grande angular que trabalha na região submilimétrica do espectro, e deve aumentar a profundidade com que se poderá observar o espaço. Sua rede de detectores permitirá fazer mapas do céu de campo largo mais depressa e com muito mais pixels.

O APEX é um telescópio de 12 metros de diâmetro instalado a elevada altitude no deserto do Atacama, que opera nos comprimentos de onda do milímetro e submilímetro - entre a radiação infravermelha e as ondas rádio do espectro eletromagnético - dando aos astrônomos uma ferramenta valiosa para observar o Universo. 

A equipe que instalou a ArTeMiS teve que lutar contra condições meteorológicas extremas para conseguir completar a tarefa, uma vez que o Centro de Controle do APEX encontrava-se praticamente soterrado pela neve que caiu no planalto do Chajnantor. Para testar o instrumento, foi preciso esperar por tempo muito seco, já que os comprimentos de onda no submilímetro que o telescópio observa são fortemente absorvidos pelo vapor de água. No entanto, quando o bom tempo chegou, foram feitas observações de teste bem sucedidas.

No seguimento dos testes e das observações de instalação, a ArTeMiS foi utilizada para vários projetos científicos. Um dos alvos apontados foi a região de formação estelar NGC 6334 (Nebulosa da Pata do Gato), situada na constelação austral do Escorpião. De acordo com o Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), esta nova imagem está significativamente mais nítida do que as da mesma região obtidas anteriormente.

De chuva de meteoros a gêmea solar, veja fotos do espaço em agosto

Veja também:

Como era ser uma criança negra na Alemanha pós-guerra
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade