0

Maior telescópio enviado ao espaço, Herschel encerra atividades

No começo de maio, o telescópio será retirado do serviço ativo e ficará 'estacionado' em uma órbita heliocêntrica (em torno do Sol)

29 abr 2013
15h43
atualizado às 16h44
  • separator
  • comentários

O telescópio Herschel, o maior já enviado ao espaço, lançado em maio de 2009 para estudar a formação das estrelas, encerrou definitivamente suas atividades após ter consumido sua reserva de hélio líquido, anunciou nesta segunda-feira a Agência Espacial Europeia (ESA).

No começo de março, a ESA tinha antecipado que o satélite cessaria suas atividades "nas próximas semanas", quando tivessem evaporado os 2,3 mil litros de hélio indispensáveis para refrigerar seus instrumentos a um nível próximo ao zero absoluto (-271° C).

Com mais de 25 mil horas de dados registrados desde o dia de seu lançamento, "o Herschel nos ofereceu uma visão totalmente nova do Universo, mostrando aspectos até então ocultos, como o processo nunca antes visto do nascimento das estrelas e de formação das galáxias", destacou em um comunicado Goran Pilbratt, encarregado científico do projeto da ESA.

O telescópio também ajudou os astrônomos a detectar a presença de água, algo determinante para eventuais formas de vida "em todas as partes do Universo", lembrou o cientista.

Em janeiro passado, estes dados forneceram informações inéditas sobre o asteroide Apofis, que deve se aproximar da Terra em 2029 e em 2036.

Mesmo depois de ter esgotado o seu hélio, o Herschel poderá continuar se comunicando com as estações terrestres. No começo de maio será retirado do serviço ativo e ficará 'estacionado' em uma órbita heliocêntrica (em torno do Sol), destacou a ESA.

Com vida útil prevista de pelo menos três anos, o Herchel foi batizado em homenagem ao físico William Herschel, que descobriu o infravermelho em 1800. Sua lente principal de 3,5 metros de diâmetro fez dele o maior e mais poderoso telescópio infravermelho enviado ao espaço.

"O fim das observações do Herschel de forma alguma significa o fim da missão: restam muitas descobertas a serem feitas" a partir de suas observações, concluiu Pilbratt.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade