0

Encontro de Vênus e Saturno poderá ser visto esta madrugada

6 jan 2016
17h15
atualizado às 17h15
  • separator
  • comentários

Um fenômeno relativamente raro poderá ser observado no céu brasileiro a partir da madrugada de amanhã (7). Segundo o astrônomo do Observatório Nacional Jair Barroso, haverá o encontro entre os planetas Vênus e Saturno nas proximidades de Antares, a estrela mais brilhante da constelação zodiacal do Escorpião.

Encontro de Vênus e Saturno nas proximidades de Antares
Encontro de Vênus e Saturno nas proximidades de Antares
Foto: Agência Brasil

A partir desta madrugada, os planetas estarão bem próximos e continuarão se aproximando até se sobreporem visualmente na madrugada de sexta-feira (9). Uma conjunção desse tipo nas proximidades da estrela Antares só vai voltar a ocorrer no final de 2045.

A movimentação poderá ser acompanhada nas próximas três madrugadas a olho nu, de acordo com Barroso. O melhor horário é logo antes do nascer do Sol, que varia de acordo com o local de observação. No Rio de Janeiro, será por volta das 5h30. Nos próximos dias, a lua estará minguando até desaparecer, na fase Nova. A ausência do brilho do satélite vai ajudar a visualizar os planetas e a estrela.

Vênus e Saturno estarão visíveis no horizonte Leste, sendo melhor visualizados nos locais em que o horizonte está livre, como no litoral. Do lado oposto, estará Antares. “O fenômeno vai ajudar a entender como se movem esses corpos e também o movimento da Terra”, explica Barroso. “É um fenômeno interessante e relativamente raro”.

O astrônomo lembra ainda que o fenômeno é puramente uma questão de perspectiva, sem mudança na distância real entre os planetas: “isto é, os astros estão apenas angularmente próximos”.

Vizinho da Terra, Vênus é o planeta conhecido como Estrela D´Alva, é também o de maior brilho do nosso sistema solar. Já Saturno é o planeta dos anéis, que podem ser vistos mesmo com pequenos telescópios.

O planeta Vênus, fotografado pela sonda espacial japonesa Akatsuki  
O planeta Vênus, fotografado pela sonda espacial japonesa Akatsuki
Foto: Agência Brasil
Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • comentários
publicidade