1 evento ao vivo

'Crianças de hoje caminharão em Marte', diz diretor da Nasa

12 jul 2011
22h24
atualizado em 13/7/2011 às 10h27
  • separator

O diretor da Nasa (agência espacial americana), Charles Bolden, reiterou nesta terça-feira que o fim da era dos ônibus espaciais não significa o fim das viagens tripuladas ao espaço e destacou que "as crianças de hoje caminharão em Marte". Bolden discursou à Comissão de Ciência, Espaço e Tecnologia da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, cujos membros foram muito críticos com a agência espacial americana, e em particular com seu diretor, por não ter preparado um veículo para substituir os ônibus espaciais.

Na imagem de 1977, o interior de um tanque de hidrogênio que fornece oxigênio e hidrogênio líquidos aos motores propulsores nos primeiros 8,5 minutos de voo do ônibus espacial
Na imagem de 1977, o interior de um tanque de hidrogênio que fornece oxigênio e hidrogênio líquidos aos motores propulsores nos primeiros 8,5 minutos de voo do ônibus espacial
Foto: Nasa / Divulgação

O presidente da comissão, o republicano Ralph Hall, lembrou que a audiência foi convocada há meses para que Bolden falasse sobre os custos, as capacidades, o programa de desenvolvimento e como seria o novo veículo espacial. No entanto, nove meses depois de o presidente americano, Barack Obama, assinar a lei de autorização de verbas para a Nasa, que incluía cláusulas para selecionar a próxima nave tripulada e o sistema de lançamento, Bolden não anunciou em que veículo os Estados Unidos trabalharão.

Hall considerou o silêncio da Nasa um "insulto" para os membros da comissão e uma "vergonha" para os que querem "preservar", "proteger" e "defender" a liderança dos Estados Unidos na prospecção espacial. "Estamos vendo a Nasa pagar, por viagens à estação espacial, países que poderiam não ter em mente os melhores interesses dos Estados Unidos", ironizou Hall. Os astronautas americanos que viajarem a partir de agora à ISS terão de fazê-lo a bordo das naves russas Soyuz. Por isso, terão de pagar mais de US$ 40 milhões. Além disso, cada viagem poderá ter no máximo dois americanos.

Bolden defendeu que o fim da era dos ônibus espaciais não representa o fim da prospecção espacial americana. Pelo contrário, segundo ele, a Nasa pretende alcançar um asteroide até 2025 e liderar uma missão tripulada a Marte até 2030. "As crianças de hoje não voarão nos ônibus espaciais, mas caminharão em Marte", declarou o diretor da Nasa.

Veja também:

Como usar uma máscara facial corretamente
EFE   
publicidade