0

Astronauta brasileiro quer voltar ao espaço em 2015

1 mar 2013
16h26
atualizado às 16h50
  • separator
  • comentários

Primeiro brasileiro a ir ao espaço, o astronauta Marcos Pontes planeja nova viagem para além da Terra nos próximos anos. Ainda sem uma definição clara sobre a data de sua próxima missão, Pontes disse esperar voltar ao espaço entre 2015 e 2016. Ele viajou para a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) em 2006, fazendo história ao ficar dez dias em órbita ao redor da Terra.

Marcos Pontes retorna de sua missão à ISS, em 2006
Marcos Pontes retorna de sua missão à ISS, em 2006
Foto: Getty Images

“2015 ou 2016, essa é minha expectativa. Provavelmente, numa missão com os russos, como da outra vez (a Rússia é um dos parceiros majoritários da ISS). Existe a possibilidade sim, e é o que estou esperando”, afirmou, após participar de um evento no Rio de Janeiro.

Ainda bastante reconhecido, Pontes era solicitado a tirar diversas fotos. Segundo ele, mesmo quase sete anos depois de ter ido ao espaço, muitas pessoas o param na rua e pedem fotos e autógrafos. O astronauta é lotado na Nasa, na qual é da área de manutenção da estação espacial. Ele atua como uma espécie de mecânico de voo, estando a postos para resolver qualquer problema de última hora na missão.

“Cada missão tem um custo muito alto para a Nasa. Cada tripulante num voo desses custa US$ 56 milhões”, comentou. Por isso, destaca, há um espaço grande entre uma missão e outra que um astronauta participa. Pontes lembra que se formou na Nasa em 1998, e só foi ao espaço oito anos depois. Da turma em que se formou, Pontes foi o segundo a ir ao espaço.

Para participar de uma missão da Nasa, Pontes fez o curso de astronauta, com duração de dois anos. Depois, se especializou e fez treinamentos específicos em outras áreas. Quando uma missão é definida, existe uma preparação especial com duração que varia de um ano a um ano e meio.

Muitos anos depois da ida ao espaço, Pontes relata que ainda tem muitas lembranças de lá. Questionado sobre qual a principal delas, ele diz que é a sensação de se sentir pequeno perto da grandeza da Terra, ao avistar o globo terrestre.

“Lembro de muita coisa de lá. A principal delas é quando você olha pra Terra, e se imagina, você se sente muito pequenininho. Essa sensação de me sentir insignificante por um lado, que fez nascer dentro de mim a necessidade de usar meu tempo de vida para fazer alguma coisa útil, de forma geral”, observa.

Além do trabalho na Nasa, Pontes é um dos três embaixadores da Organização das Nações Unidas (ONU) em todo o mundo, focados nas atividades de desenvolvimento industrial. O brasileiro criou uma fundação, voltada para trabalhos nos campos da educação, ciência e tecnologia para ensino fundamental e médio, além da sustentabilidade.

O astronauta também dá aulas no curso de engenharia aeronáutica da Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, e se prepara para iniciar uma nova especialidade na instituição de ensino. “Criamos lá o curso de engenharia aeroespacial, para que entre no vestibular. Vai começar este ano. Espero que entre no vestibular 2013”, explicou.

O desejo de Pontes é que outros brasileiros também possam viajar para o espaço. Com o curso, ele espera facilitar esse caminho. “Quem sabe a gente não consiga colocar mais um lá. É meu sonho. Eu deixaria minha oportunidade para alguém”, argumenta.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade