Espaço

publicidade
01 de setembro de 2012 • 11h00

Armstrong: 1º a pisar na Lua era proibido de pisar em Langholm

Neil Armstrong recebe o título de "Freeman" na Escócia
Foto: Getty Images

Falecido no dia 25 de agosto, aos 82 anos, o astronauta americano Neil Armstrong deixou o seu nome registrado na história ao se tornar o primeiro ser humano a pisar na Lua. Mas o homem que conquistou o solo lunar no dia 20 de julho de 1969 era, por lei, proibido de pisar no berço de seus ancestrais, em um vilarejo na Escócia.

Três anos após conquistar a Lua, o astronauta foi convidado para voltar as suas origens. No dia 11 de março de 1972, Neil Armstrong visitou Langholm, pequena cidade que possuía uma lei antiga condenando à forca qualquer pessoa com esse sobrenome encontrada no local. Em vez da execução pública, no entanto, o astronauta ganhou o título de "Freeman" (Homem livre), uma honraria inédita para o lugar, concedida em diversos países como reconhecimento por obras e realizações.

O clã
A pequena cidade de Langholm, conhecida popularmente como "Muckle Toon", fica no Distrito de Dumfries e Galloway, na Escócia, na fronteira com a Inglaterra. O lugar, que no ano 2000 tinha pouco mais de 2 mil habitantes, chegou a acolher em suas cercanias mais de 3 mil Armstrongs no passado.

De todas as famílias no sul da Escócia e norte da Inglaterra, o clã Armstrong era o mais temido. No período medieval, cavaleiros da família cobravam pedágio de quem passasse por suas terras e se bandeavam de lado a cada conflito bélico, ora defendendo a Escócia, ora lutando pela Inglaterra.

Por isso, a relação com os reis escoceses sempre foi turbulenta. Essa tensão culminou na morte do chefe do clã, John Armstrong, chamado também de Johnnie de Gilnockie, em 1530. O jovem Rei James V, com a intenção de silenciar os rebeldes da fronteira, convocou "Gilnockie" para uma reunião. No encontro, o rei ordenou que ele fosse enforcado, assim como seus asseclas. Era o início da queda do clã Armstrong.

A partir daquele momento, os Armstrong foram incluídos na lista de clãs escoceses rebeldes. Posteriormente, uma lei determinou que todo Armstrong encontrado na cidade deveria ser enforcado. Sem muitas opções, então, todos rumaram para longe, a maioria emigrando para os Estados Unidos e para a Inglaterra.

Cidade Natal
Centenas de anos depois, um Armstrong, natural de Wakaponeta, em Ohio (EUA), foi tão longe, que nunca mais será esquecido - especialmente pela terra que no passado expulsara seus antepassados. Após a Missão Apollo 11, que chegou à Lua, o conselho da cidade enviou para o Armstrong mais famoso do planeta um brasão da família e uma placa do distrito, marcando seus laços ancestrais com Langholm.

Ninguém esperava que o astronauta aceitaria o convite de visitar a cidade, mas as dúvidas se dissiparam no dia 11 de março de 1972. O herói americano passeou pelas ruas acompanhado de sua mulher, Janet. Oito mil pessoas, entre moradores e visitantes, escoceses e ingleses, se amontoaram para recebê-lo, aplaudi-lo e condecorá-lo. Todos seguiram em procissão até a Igreja Paroquial, onde foi realizada a cerimônia que concedeu ao astronauta o título de "Freeman".

Na Igreja, que hoje possui uma placa para marcar a ocasião, Armstrong foi agraciado com uma mensagem colocada dentro de uma caixa de nogueira, confeccionada à mão, no formato da fortaleza de Johnnie Armstrong. Depois de receber o presente, ele fez um juramento de lealdade como cidadão honorário e então assinou o documento para oficializar a honraria, segundo um jornal local chamado Eskdale & Liddesdale Advertiser.

"Sentimento genuíno
"Este não é um dia para discursos, mas eu gostaria de indicar meu sincero prazer nesta honra única para mim. Meu prazer não é só que esta é a terra de Johnnie Armstrong, mas meu prazer está em saber que esta é a minha cidade natal e no sentimento genuíno que eu tenho entre estas colinas e entre essas pessoas", declarou Armstrong, após assinar o documento.

Aplaudido efusivamente pela plateia que assistia à cerimônia e pelas próprias autoridades presentes, Armstrong acrescentou: "É triste que o lugar mais difícil de se ser reconhecido seja em sua terra natal. E eu considero essa, agora, minha terra natal. Eu me sinto realmente em casa aqui e espero voltar."

O retorno
Quarenta anos depois, em 2012, houve o convite oficial para a volta, de acordo com a Câmara Municipal da cidade. Armstrong reiterou seu desejo de retornar, mas insistiu que não se fizesse um evento formal. Ele queria apenas matar a saudade de Langholm e visitar novamente suas origens, com a mesma discrição que marcou toda a sua trajetória pública.

Mas o desejo não se concretizou. Devido a complicações cardiovasculares, Neil Armstrong, homem livre de Langholm e o primeiro a pisar na Lua, deu o salto para a eternidade no dia 25 de agosto deste ano.

GHX Comunicação