0

Amador descobre gigantesca explosão estelar do quintal de casa

8 out 2010
08h25

Um amador fez observações do que já é considerada a maior descoberta da astronomia da Irlanda. Dave Grennan, um desenvolvedor de softwares de 39 anos, observou uma gigantesca explosão estelar, evento conhecido como supernova, do quintal de casa, em Dublin. As informações são do site do jornal The Independent.

O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), uma das mais importantes instituições de pesquisa científica do planeta, escolheu as 100 melhores fotos que já produziu. Além de imagens do espaço, o ESO também selecionou imagens de suas impressionantes instalações e concepções artísticas de descobertas astronômicas. Por motivos estéticos, não começamos pelo número 100, e sim pelo 99, que mostra o brilho da Nebulosa da Lagoa. Confira todas as imagens
O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês), uma das mais importantes instituições de pesquisa científica do planeta, escolheu as 100 melhores fotos que já produziu. Além de imagens do espaço, o ESO também selecionou imagens de suas impressionantes instalações e concepções artísticas de descobertas astronômicas. Por motivos estéticos, não começamos pelo número 100, e sim pelo 99, que mostra o brilho da Nebulosa da Lagoa. Confira todas as imagens
Foto: ESO/IDA/Danish 1.5 m/ R. Gendler, U.G. Jørgensen, K. Harpsøe / Divulgação

Supernovas - gigantescas explosões no final da vida de estrelas supermassivas e que podem destruir outras estrelas e planetas relativamente próximos - não são novidade na astronomia, mas é a primeira vez que uma destas é descoberta a partir de observações feitas em solo irlandês.

"Estamos observando um evento que ainda está se desdobrando, mas que começou há 300 milhões de anos", diz Grennan à reportagem. O objeto cósmico recebeu o nome de 2010ik após ser confirmado seu status de supernova por instituições internacionais de astronomia.

Conforme a reportagem, Grennan tem vasculhado os céus há anos e já havia descoberto dois asteroides. "Eu me pergunto se existiam pobres almas vivendo em planetas ao redor da estrela quando ela explodiu. Nunca saberemos", diz o astrônomo amador.

Fonte: Redação Terra
publicidade