0

Enciclopédia da Vida lança versão 2.0 com 700 mil páginas

6 set 2011
10h29
atualizado às 11h46

Mais de 700 mil páginas com informações científicas vão integrar a versão online 2.0 da Enciclopédia da Vida, que amplia seu conteúdo gratuito na rede a partir desta terça-feira. A intenção, segundo o site 20 Minutos , é deixar a obra ao alcance de todos e assim conscientizar as pessoas sobre a conservação das espécies.

Pássaros coloridos vivem na Autrália e são da espécie Trichoglossus haematodus
Pássaros coloridos vivem na Autrália e são da espécie Trichoglossus haematodus
Foto: Barry Armstead Photography / Atlas of Living Australia / Reprodução

O projeto é patrocinado pelo Instituto Smithsonian, de Washington, e contou com a expertise de cientistas em 176 centros de pesquisa. "Este foi o maior esforço para reunir informações sobre todas as espécies em um único lugar", afirmou Erick Mata, diretor executivo da EOL (sigla em inglês), ao jornal espanhol - que classifica o acervo como uma "Wikipédia da vida animal e vegetal".

A versão 2.0 do projeto tem 20 vezes mais dados do que no primeiro lançamento, em 2008. E a intenção, segundo Mata, é que o site chegue a 1,9 milhão de páginas: uma para cada espécie conhecida pela ciência. O diretor executivo da Enciclopédia da Vida destaca que a nova edição da obra permite a troca de informações entre cidadãos, cientistas, pesquisadores e ecologistas, o que "dá ao público uma nova forma de aprender" e explorar "a complexidade dinâmica da biodiversidade".

A nova página tem uma coleção de imagens e vídeos com mais de 600 mil links, disponibilizados também gratuitamente. Mas o destaque da versão 2.0 da EOL, segundo Mata, é a possibilidade de criação de grupos de pesquisa colaborativos. "Se alguém no Equador ou na Costa Rica está interessado em observação de aves, pode criar uma comunidade e a ela podem unir-se pessoas com o mesmo interesse", explica. É possível, ainda, criar coleções de imagens e vídeos, e compartilhá-las com outros usuários.

A enciclopédia online também permite que sejam publicados estudos, que passam pela revisão de cientistas e recebem um selo informando a veracidade das informações. Dados não confirmados também aparecem no site, mas sem o selo. O material disponível inclui, por fim, 35 milhões de documentos digitalizados, entre os quais se destacam os 330 volumes da biblioteca de Charles Darwin, considerado o pai da teoria evolutiva.

Na nova versão, a Enciclopédia da Vida passa a estar disponível em outros dois idiomas, Espanhol e Árabe, além do inglês.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade