1 evento ao vivo

ONU apresenta Brasil como exemplo de redução do desmatamento

Pnuma apresenta Brasil como exemplo de redução do desmatamento

21 nov 2012
11h20
atualizado às 13h34
  • separator

As conquistas brasileiras de redução do desmatamento ilegal, principalmente na região da Amazônia, foram apontadas nesta quarta-feira, em Londres, como um exemplo a ser seguido por todos os países do mundo. Ao alertar para a impossibilidade de manter a elevação de temperatura abaixo dos níveis ideais para minimizar os impactos do aquecimento global, o relatório divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) indica, pela primeira vez, experiências exitosas que deveriam ser adotadas pela comunidade internacional.

Entenda os principais termos ligados ao mundo das mudanças climáticas

No caso brasileiro, o estudo destaca que as medidas de controle e fiscalização do crime ambiental nas florestas do País resultaram na redução da derrubada de árvores. Na Amazônia Legal, por exemplo, a extensão do desmatamento caiu de 29 mil quilômetros quadrados (km²) em 2004, para 6,4 mil km² esse ano.

O levantamento do Pnuma será um dos instrumentos usados pelos negociadores na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, conhecida como COP18, que ocorrerá no Catar, a partir da próxima semana.Os investimentos em florestas e na criação de áreas protegidas na Costa Rica também foram destacados no estudo.

De acordo com os dados divulgados pelo Pnuma, o Brasil conseguiu ampliar a conservação da biodiversidade, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa e associando essa medida à atração de novos recursos para o País, com a vinda de turistas curiosos em visitar esses locais.

Segundo os pesquisadores, com essas ações, Brasil e Costa Rica conseguiram antecipar os resultados da Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal, a chamada REDD, na sigla em inglês. A medida é um dos pontos polêmicos a serem tratados na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

Nas últimas semanas, o governo brasileiro tem ressaltado a importância da regulamentação internacional do mecanismo que está no centro das polêmicas nas discussões sobre clima. O REDD funcionaria como uma compensação financeira para os países em desenvolvimento ou para comunidades específicas desses países, pela preservação de suas florestas.

Mas, segundo o governo brasileiro, apesar de todos os avanços conquistados, a única compensação real até o momento são os recursos do Fundo Amazônia. O fundo foi criado em 2008 para captar doações para investimentos em prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e para a conservação e o uso sustentável das florestas amazônicas.

No relatório, o Pnuma ainda cita outras "ações inspiradoras" que foram implementadas internamente e voluntariamente por vários países - com destaque para Alemanha e Brasil, principalmente, em setores como o de eficiência energética de edifícios, redução de emissões de veículos e investimentos em fontes de energia renovável.

Veja também:

Como usar uma máscara facial corretamente
Agência Brasil Agência Brasil
publicidade