1 evento ao vivo

COP-17: Dilma se diz satisfeita com acordo e papel do Brasil

11 dez 2011
13h39
atualizado às 14h07

Apesar de criticado por ambientalistas, o resultado da 17ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-17), em Durban, África do Sul, foi bem avaliado pela presidente Dilma Rousseff. Em conversa por telefone com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, Dilma disse ter ficado "satisfeita com o resultado da conferência e, em especial, com o desempenho do país durante as negociações".

Centenas de crianças formam uma cabeça de leão em uma praia em Durban para chamar a atenção para a questão ambiental
Centenas de crianças formam uma cabeça de leão em uma praia em Durban para chamar a atenção para a questão ambiental
Foto: EFE

Quais são os países que mais poluem
Clima de A a Z: fique por dentro do que está em pauta nas discussões da COP 17
Veja as transformações causadas pelo aquecimento global

Representantes de 194 países concordaram, durante as negociações terminadas na madrugada deste domingo, em renovar o Protocolo de Kyoto para pelo menos até 2017, e iniciar um processo com força legal, visando a um novo pacto global sobre o clima. O documento aprovado prevê o início das negociações já no ano que vem.

Durante as reuniões, foi instituída a estrutura do Fundo Verde do Clima, criado para financiar ações de combate às mudanças climáticas. No entanto, o número de países participantes do novo protocolo foi reduzido, com a saída da Rússia, do Japão e do Canadá. De acordo com o Palácio do Planalto, a renovação do protocolo dará "fôlego para que as negociações não parem".

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade