3 eventos ao vivo

China: retirada de 13 mil porcos não afeta qualidade da água em rio

18 mar 2013
09h52
atualizado às 10h35
  • separator
  • 0
  • comentários

Embora 13 mil porcos mortos tenham sido retirados do rio Huangpu nos últimos dias, a qualidade da água corrente em Xangai segue sem ter sido afetada, segundo as autoridades da cidade mais povoada da China, com mais de 23 milhões de habitantes.

<p>Porcos mortos foram retirados do rio Huangpu de Xangai</p>
Porcos mortos foram retirados do rio Huangpu de Xangai
Foto: AP

Cerca de 80% dos corpos retirados são de animais jovens, revelou o porta-voz do governo de Xangai, Xu Wei, que afirmou que a qualidade de água tanto no rio como nas torneiras ainda é normal, e após seis dias de inspeção, não foi detectada carne duvidosa nos mercados locais.

Após uma semana de retirada de centenas de cadáveres diariamente, as autoridades da prefeitura enviaram parte das mais de 230 embarcações empregadas nas tarefas de limpeza rumo à fronteira com a província de Zhejiang, em cujo lago Dianshan nasce o Huangpu e de onde parece que os corpos são provenientes.

Estas embarcações são encarregadas de vigiar a zona nos próximos dias e de recolher todos os corpos que apareçam perto de Xangai, explicou Xu ao jornal oficial Shanghai Daily.

Há uma semana a Comissão de Agricultura de Xangai detectou na água do Huangpu, que atravessa a cidade até desembocar no rio Yang Tsé, próximo ao mar, a presença de um circovírus suíno potencialmente letal para os animais, embora não contagie os humanos.

Contudo, não foi decretado nenhum alarme por parte das forças de saúde por enquanto e nem consta uma epidemia suína na região.

A Comissão averiguou neste fim de semana várias fazendas de Xangai que os internautas locais acusaram de lançar porcos no rio, embora tenha descoberto que uma delas já não cria porcos, enquanto as autoridades não conseguiram provar que a outra atirasse corpos na água.

A empresa chinesa de carne envasilhada, Xangai Maling Aquarius, também foi acusada na internet de utilizar carne de porcos mortos ou doentes, mas as autoridades também não acharam provas nem em seus produtos e nem em suas instalações.

Até agora, só foi localizado um culpado pelo problema, embora a prática seja bastante estendida na zona, sobretudo na vizinha cidade de Jiaxing, em Zhejiang.

Como primeiro fruto das investigações iniciadas desde que o caso ficou conhecido, uma fazenda dessa cidade reconheceu na quarta-feira ter jogado vários porcos mortos ao rio Huangpu, embora não tenha sido identificado o estabelecimento responsável e nem o número de cadáveres jogados ao rio.

A confissão foi obtida depois que as investigações preliminares indicassem, pelos rótulos das orelhas de 14 dos animais recolhidos, que todos eles tinham nascido em Jiaxing.

EFE   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade