2 eventos ao vivo

Beber regularmente melhora o desempenho sexual, diz estudo

Beber regularmente em doses moderadas melhora o desempenho sexual

19 mar 2010
08h54
atualizado às 09h33

Os homens que costumam tomar alguns drinques com regularidade têm melhor desempenho sexual do que aqueles que nunca tomam bebidas alcoólicas. A constatação é de pesquisadores do Keogh Institute for Medical Research, da Austrália, que, no entanto alertam: tomar um porre pode ser um tiro pela culatra. Ou seja, o segredo para ser bom de cama está em consumir bebidas com moderação.

O estudo, realizado com 1.580 homens, evidenciou que aqueles que bebiam até 5 doses por semana (porção considerada moderada) tinham uma vida sexual mais ativa e satisfatória do que os que não bebiam nunca ou aqueles que exageravam. Segundo o médico Kew-Kim Chew, coordenador da pesquisa, a incidência de problemas de ereção era 30% menor naqueles que tinham o hábito de beber alguns drinques por semana.

O médico explica que a bebida alcoólica em doses moderadas pode ajudar a desinibir e também pode melhorar a função circulatória, que está diretamente ligada aos problemas de ereção, uma vez que depende da irrigação sanguínea do pênis.

Foram avaliados na pesquisa alcoólatras, homens que bebiam as doses recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os abstêmios e aqueles que não bebiam nada durante a semana, mas exageravam no fim de semana. Os que tinham mais risco de disfunções eréteis eram os alcoólatras, seguido dos que exageravam no fim de semana.

Para o cientista, a descoberta é animadora, já que mostra que beber moderadamente pode trazer benefícios para a vida sexual. Também indica que homens com disfunções eréteis não precisam abandonar o álcool completamente. "A vida sedentária e o cigarro têm mais impacto na disfunção erétil do que o álcool", diz.

Problemas cardíacos
Outro estudo, da Alemanha, divulgado esta semana, concluiu que, entre os homens que sofrem de problemas do coração, os que também apresentam quadros de impotência têm chances em dobro de ter ataques cardíacos.

Além disso, a probabilidade de os portadores de disfunção erétil sofrerem um derrame cerebral é 10% maior do que a dos demais pacientes cardíacos. A principal causa da impotência e dos problemas cardíacos é a má circulação.

Fonte: O Dia
publicidade