3 eventos ao vivo

Às vésperas dos 70 anos, ex-alunos falam sobre 'gênio' Hawking

2 jan 2012
11h56
atualizado às 14h52

Considerado por muitos cientistas como o mais brilhante físico desde Albert Einstein, o britânico Stephen Hawking completa no domingo 70 anos. Sua trajetória é marcada por contribuições à ciência e pela superação de limites. Em 1962, mesmo ano em que terminou o curso de física em Oxford, descobriu que sofria de esclerose lateral amiotrófica, doença degenerativa que lhe deixou quase completamente paralisado. Mesmo assim ele seguiu os estudos, desenvolveu teorias sobre buracos negros e incentivou outros pesquisadores, que consideram o astrofísico como um gênio que "continua ampliando as fronteiras da física".

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, o professor da Universidade de Londres, Bernard Carr, que foi aluno de doutorado de Hawking de 1972 a 1975, destacou a descoberta sobre a radiação térmica emitida pelos buracos negros. "Esse foi um dos resultados mais importantes para a física no século 20. (...) Na época, eu trabalhava com ele como estudante de doutorado e me sinto um privilegiado por ter acompanhado de perto o desenvolvimento da pesquisa", afirmou. Carr disse ainda que naquela época, o astrofísico ainda não era tão famoso, "mas seu brilho já era claro para todos os seus colegas". "No começo até fiquei um pouco assuntado por ser assistente da pessoa mais brilhante do departamento", completou.

Astrônomo real e mestre da Trinity College, Martin Rees, conheceu Hawking em 1964 e disse ao periódico britânico que o nome do cientista estará marcado para sempre nos anais da ciência. "Muitas vezes eu empurrei a cadeira de rodas dele até seu escritório, ele ficava por horas lendo um livro sobre teoria quântica. (...) Poucos como eu poderiam imaginar que ele chegaria ao seu 70º aniversário, depois de realizações surpreendentes que fizeram dele o cientista vivo mais famoso", afirmou.

Professor do Departamento de Matemática da Universidade de Cape Town, na África do Sul, George Ellis trabalhou com Hawking em 1973 e afirmou que a vida do pesquisador é uma "conquista extraordinária". "Seu sucesso foi devido à combinação de capacidade técnica enorme e imaginação, uma mente sempre em busca de respostas para questões importantes, tudo isso alidado a uma extraordinária determinação e foco nos resultados". "Quando trabalhamos juntos, eu o ajudava com as questões da vida cotidiana nas fases iniciais da doença, empurrando sua cadeira de rodas do departamento de matemática à sua casa, e ao centro da universidade para o almoço. Seu largo sorriso e senso de humor travesso estavam sempre presentes nestas ocasiões. Que privilégio ter feito parte desta época em sua vida", completou.

Já Thomas Hertog, que trabalhou com o astrofísico em 2006, chama o mestre de "gênio". "Guiado pela intuição afiada, juntamente com um foco consistente sobre os problemas e uma certa audácia para descartar velhas ideias que ele considera como um obstáculo ao progresso, Stephen produziu conhecimentos que tiveram um impacto profundo sobre cosmologia teórica. Mesmo com 70 (anos), ele continua sendo um dos maiores especialistas do mundo neste campo", afirmou ao The Guardian.

Trajetória
Stephen William Hawking nasceu no dia 8 de janeiro de 1942 em Oxford, na Inglaterra. Em 1962 se formou em física pela University College. No mesmo ano, descobriu que possuía esclerose lateral amiotrófica. Apesar da doença, seguiu nos estudos até se tornar Ph.D. em cosmologia pelo Trinity Hall, em Cambridge.

Em 1970, Hawking iniciou o trabalho sobre as características dos buracos negros, descobrindo que as estruturas emitem radiação. Publicou diversos livros, entre eles Breve História do tempo, de 1988.

Imobilizado em uma cadeira de rodas e se comunicando por meio de um sintetizador de voz, ele diz em seu site que concilia a vida familiar (tem três filhos e três netos), e sua investigação em física teórica junto com um extenso programa de viagens e palestras.

Físico mais famoso da atualidade, Hawking completa 70 anos no domingo
Físico mais famoso da atualidade, Hawking completa 70 anos no domingo
Foto: AFP
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade