0

Taiji, cidade conhecida pela morte de golfinhos, quer abrir parque marinho

7 out 2013
09h41
atualizado às 10h26
  • separator
  • 0
  • comentários

A cidade japonesa de Taiji, tristemente conhecida no mundo pelo massacre de golfinhos, deve abrir um parque marinho, onde as pessoas possam nadar com golfinhos e com pequenas baleias.

<p>Iniciativa de reserva natural, que pode abrir suas portas em cinco anos, não significa o fim da pesca em Taiji</p>
Iniciativa de reserva natural, que pode abrir suas portas em cinco anos, não significa o fim da pesca em Taiji
Foto: AP

Este pequeno porto do oeste do Japão se tornou famoso pelo documentário The Cove, premiado com um Oscar em 2010, que denunciava a captura em Taiji todos os anos de dezenas de golfinhos, levados a parques de atrações, e o massacre de outras centenas para o consumo de sua carne.

As autoridades municipais desta pequena cidade portuária desejam transformar uma parte de sua baía em uma reserva natural, na qual os turistas e outros curiosos possam nadar ou utilizar caiaques na companhia destes animais, confirmou à AFP Masaki Wada, um funcionário da cidade.

O porto já possui uma reserva com cetáceos para aumentar o turismo, mas as autoridades municipais querem desenvolvê-la em grande escala, disse o funcionário, que falava de uma superfície de 28 hectares.

"Queremos fazer de toda a localidade um parque, onde poderão observar estes mamíferos marinhos e também degustar produtos marinhos, entre eles golfinho e baleia", disse.

Wada afirmou que esta iniciativa de reserva natural, que pode abrir suas portas em cinco anos, não significa o fim da pesca em Taiji.

<p>Pescadores navegam por um rio coberto por sangue de golfinhos em Taiji, em 2003: cidade japonesa conhecida pelo massacre de golfinhos deve abrir um parque marinho</p>
Pescadores navegam por um rio coberto por sangue de golfinhos em Taiji, em 2003: cidade japonesa conhecida pelo massacre de golfinhos deve abrir um parque marinho
Foto: AP

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade