2 eventos ao vivo

Casos suspeitos de gripe suína no País sobem para 22

11 mai 2009
14h23
atualizado às 15h08

O número de casos suspeitos de gripe suína no Brasil subiu de 18 para 22, segundo informações divulgadas na tarde desta segunda-feira pelo Ministério da Saúde. Os casos foram registrados em oito Estados: 10 em São Paulo, três no Distrito Federal, três em Pernambuco, dois no Rio de Janeiro, um no Paraná, um em Alagoas, um em Rondônia e um no Ceará.

» México tenta voltar à normalidade
» Veja o que é o vírus influenza Tipo A
» Total de casos no País vai a 8
» Tire suas dúvidas sobre a gripe suína

De acordo com a assessoria do ministério, 22 pessoas e não mais 25 estão sendo monitoradas por apresentarem sintomas da doença. Os números se referem a informações repassadas pelas secretarias estaduais de Saúde. Ao todo, 164 casos já foram descartados no país.

Até o momento, os casos confirmados são oito: três no Rio de Janeiro, dois em São Paulo, um em Minas Gerais, um no Rio Grande do Sul e um em Santa Catarina.

Em nota, o ministério diz que não há evidências da transmissão de pessoa para pessoa do vírus H1N1 no Brasil, "tendo em vista terem sido detectados somente dois casos de transmissão dentro do território nacional, ambos com vínculo epidemiológico com o caso-índice procedente do México". Isso significa que o governo não considera os Estados brasileiros com casos confirmados como áreas afetadas pela gripe suína.

O que é a gripe suína
É uma doença respiratória que atinge porcos causada pelo vírus influenza tipo A, que tem diversas variantes. Algumas das mais conhecidas são a H1N1, a H2N2 e a H3N2.

A gripe suína geralmente não atinge os humanos, e até então eram raros são os casos de contágio de pessoa para pessoa. A contaminação ocorre da mesma forma que a gripe comum, por meio de perdigotos (gotículas de saliva) lançados na tosse e espirros.

Sobre o recente surto que teve origem no México, a Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou que alguns dos casos registrados são formas não conhecidas da variedade H1N1 do vírus Influenza A.

Ele é geneticamente diferente do vírus H1N1 que vem atacando humanos nos últimos anos e contém DNA associado aos vírus que causam as gripes aviária, suína e humana, incluindo elementos de viroses européias e asiáticas.

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade