0

WikiLeaks: EUA dizem que Brasil disfarça prisão de terroristas

29 nov 2010
08h27
atualizado às 10h27

O site WikiLeaks, especializado na publicação de documentos confidenciais, divulgou que, para os Estados Unidos, o Brasil disfarça a prisão de terroristas. O relato foi feito de maneira secreta em 8 de janeiro de 2008 pelo então embaixador dos EUA em Brasília, Clifford Sobel. Essa informação faz parte de um lote de 1.947 telegramas produzidos pela diplomacia norte-americana durante a última década, em Brasília. A organização WikiLeaks vai divulgá-los gradualmente a partir desta semana. Tratam de possíveis ações de ativistas de origem árabe no País. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

infográfico info wikileaks
infográfico info wikileaks
Foto: Reuters

Os telegramas não listam suspeitos de terrorismo que teriam sido detidos pela polícia no Brasil. Há, entretanto, uma menção direta a dois casos já revelados com exclusividade pelo jornal. Os documentos da diplomacia dos EUA citam a ligação de um libanês preso em abril de 2009 e acusado de ter ligações com o grupo Al Qaeda. A outra menção é sobre uma operação da PF em Santa Catarina, quando foi presa uma pessoa suspeita de ligações com extremistas sunitas. Em dois trechos dos telegramas há menções críticas à então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. O assunto é a inexistência de legislação no Brasil para tipificar atos terroristas -algo pelo qual os EUA fazem forte lobby em vários países. Dilma é apresentada como a responsável por ter impedido o envio de uma proposta de lei antiterror ao Congresso.

Fonte: Redação Terra
publicidade