0

Vencedores do concurso "Causos do Eca" são premiados em SP

23 nov 2010
21h03
atualizado às 23h09

O 6° Concurso "Causos do Eca" premiou na noite desta terça-feira os vencedores nas quatro categorias de histórias sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. Mais de 900 pessoas prestigiaram a cerimônia, realizada no Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. O concurso é uma parceria da Fundação Telefônica com a Agência de Notícias dos Direitos da Infância.

O 6° Concurso "Causos do Eca" premiou os vencedores nas quatro categorias de histórias sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente
O 6° Concurso "Causos do Eca" premiou os vencedores nas quatro categorias de histórias sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente
Foto: Fernando Borges / Terra

O promotor público Wilson Ricardo Coelho Tafner foi o vencedor na categoria "Eca como Instrumento de Transformação", com a história "Sob os Telhados", que relata fatos sobre internos da Fundação Casa e o processo de melhora das condições de vida dos menores de idade em cumprimento de medidas socioeducativas.

Na categoria "Eca na Escola", o primeiro lugar foi para a professora Mirian Teresinha Zimmer Soares, de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. "Eca com boneca" conta a ação de uma gestora de escola, que garantiu a discussão sobre os direitos das crianças através da utilização de brincadeiras.

A votação do júri, realizada pela internet, premiou o adolescente Diogo Francisco da Silva Estevam, 12 anos, de Colatina, no Espírito Santo. Ele narrou a história de um pré-adolescente que foi trabalhador infantil, mas teve a vida transformada com a ajuda da família e do sistema de garantia de direitos do menor de idade.

Entre os funcionários do Grupo Telefônica, o vencedor foi Antonio Alfredo Silva, que narrou a história de um trabalho voluntário para recrear crianças hospitalizadas. Cada primeiro lugar receberá R$ 15 mil em prêmio, com exceção da escolha do Júri Popular, que receberá R$ 10 mil. Os segundos e terceiros lugares receberão, respectivamente, R$ 10 mil e R$ 5 mil como prêmio.

Após o evento de premiação, foi distribuído o livro Causos do Eca: muitas histórias, um só enredo, que reuniu as narrativas referentes ao concurso. Também foi distribuído um e-book com quatro curtas-metragens da premiação.

Recorde de inscrições
O concurso recebeu a inscrição recorde de 1.196 causos, 53% a mais que no ano passado. A maior parte foi enviada pela região Sudeste (65,3%), sendo que o Estado de São Paulo respondeu por 47,8% dos causos inscritos. A região nordeste teve 14,4% das inscrições, seguida por Sul (13,5%), Norte (3,5%) e Centro-Oeste (3,3%).

As vítimas de violações de seus direitos foram, na maioria, meninos, com 40,6%, e 29,4% meninas - histórias em que ambos os sexos sofreram abusos foram de 22,3%. Professores e educadores foram 31,2% do total de inscrições, seguidos por 12,2% de conselheiros tutelares e 9% de estudantes.

A categoria que mais recebeu inscrições foi "Eca como instrumento de transformação", com 76% das inscrições, seguida de "Eca na Escola", com 21% e inscrições de empregados, com 2%.

Fonte: Redação Terra
publicidade