0

vc repórter: gaúcho faz caminhada de 220 km em maior praia do mundo

10 abr 2012
20h15
atualizado às 20h40

Gaúcho de Porto Alegre, o odontologista Fernando Pereira de Sousa Neto percorreu nada menos que 220 km entre os Molhes da Barra do Cassino e da Barra do Chuí na região sul do Brasil em seis dias de caminhada. Aos 48 anos, ele sofreu com falta de água, comida e com o isolamento, com o objetivo de fazer um verdadeiro retiro espiritual.

Consta no Livro dos Recordes que a praia do Cassino é a maior do mundo em extensão, com mais de 254 km de comprimento, estendendo-se desde a cidade do Rio Grande, no Rio Grande do Sul, até o Chuí, na fronteira com o Uruguai.

"Fora o desafio de fazer esse longo caminho, a beleza natural do lugar é surpreendente. Gosto muito daquela região. Consegui avistar muitos naufrágios que sequer estão catalogados. Mas o principal objetivo dessa caminhada era mesmo a vontade do retiro, do silêncio, do isolamento", afirmou Fernando, em entrevista ao portal Terra .

Outro fato que impressionou o odontologista foi a ausência de comércios e pessoas no trajeto. Segundo ele, somente no sexto e último dia de caminhada apareceu um "lugar para se gastar". "Nos primeiros dias, comecei a caminhada às 7h e vi a primeira pessoa às 18h30. Caminhei seis dias para achar o primeiro lugar para se gastar um real. É um lugar bastante ermo e são poucos os locais com esse tipo de característica", disse o gaúcho.

Porém Fernando conta que o pior momento de sua viagem foi no segundo dia, quando sofreu com a falta de água e com dores musculares. "No segundo dia perdi duas unhas do pé e fiquei preocupado porque quase fiquei sem água, mas consegui achar arroios e córregos que me salvaram".

O gaúcho pegava essa água que encontrava com sua garrafa. Depois disso, colocava uma pastilha purificadora dentro dessa garrafa, esperava 30 minutos e bebia. "O único lixo que você consegue ver é do mar. Você acha coisas como garrafas, por exemplo, de vários lugares do mundo".

Fernando largou de seu ponto inicial na barra do Cassino no dia 30 de março com uma mochila de 19 kg que continha uma barraca, um fogareiro, uma panela, muitos pacotes de macarrão instantâneo, suplemento alimentar, barras de cereal, barras de proteína, uma lanterna, um saco de dormir, um GPS, um telefone via satélite para emergências e poucas roupas.

Depois de avistar lindas paisagens e passar por ótimos e péssimos momentos, Fernando tirou algumas conclusões de seu retiro espiritual. "Para estar em paz, você não precisa de muita coisa, mas viver essa experiência de estar com o essencial por alguns dias é fantástico. Minha preocupação era com água, comida e cansaço e nada mais. Ser rico é ter tempo", completou o dentista.

Agora, Fernando pensa em seu próximo objetivo, o chamado Caminho Inca, realizado no Peru. No entanto, o gaúcho ainda não sabe se fará a caminhada de dois, três ou cinco dias.

O internauta José Luiz, de Rio Grande (RS), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui .

Fernando percorreu 220 km em uma caminhada na região Sul do Brasil
Fernando percorreu 220 km em uma caminhada na região Sul do Brasil
Foto: José Luiz / vc repórter
vc repórter

compartilhe

publicidade
publicidade