1 evento ao vivo

País tem 39 rodovias bloqueadas por protestos em dia de mobilização sindical

Em SP, cinco estradas foram interditadas por manifestantes. Outros 13 Estados registram bloqueios nesta quinta-feira

11 jul 2013
09h12
atualizado às 11h25
  • separator
  • 0
  • comentários

Pelo menos 39 rodovias brasileiras foram bloqueadas por manifestações na manhã desta quinta-feira, dia de mobilização nacional das centrais sindicais de todo o Brasil. Os bloqueios atingiam às 11h vias de pelo menos 14 Estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Sergipe, Goiás, Pernmbuco, Alagoas,  Paraná, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

<p>Na rodovia Anhanguera houve bloqueios da pista por manifestantes</p>
Na rodovia Anhanguera houve bloqueios da pista por manifestantes
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

São Paulo
As rodovias Anchieta, Cônego Domênico Rangoni, Anhanguera e a Via Dutra estavam bloqueadas às 9h.

Na rodovia Anchieta, o trânsito estava bloqueado no quilômetro 65, na entrada de Santos, no sentido Baixada Santista. No quilômetro 65, em São Bernardo do Campo, um segundo protesto bloqueava a pista sentido São Paulo. O tráfego é desviado para dentro da cidade. Na Cônego Domênico Rangoni, que também faz parte do sistema Anchieta-Imigrantes, o tráfego foi interditado em ambos os sentidos no quilômetro 268.

&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://noticias.terra.com.br/infograficos/iframe-galeria-cartazes-greves/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot; data-cke-323-href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://noticias.terra.com.br/infograficos/iframe-galeria-cartazes-greves/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;Veja cartazes das greves gerais que pararam o Brasil&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;

Em Jundiaí, manifestantes bloquearam a pista da rodovia Anhanguera em direção à capital paulista. O acesso ao Distrito Industrial foi interditado, na altura do quilômetro 62.

A rodovia Presidente Dutra teve três trechos bloqueados devido à manifestação de populares. Em São José dos Campos, as interdições ocorreram na altura do quilômetro 146, na pista sentido Rio de Janeiro, onde o bloqueio começou por volta das 5h30 e terminou às 8h, e no quilômetro 143, no momento em que a pista foi fechada nos dois sentidos às 6h30. Segundo a CCR Nova Dutra, às 9h30, o único trecho que permanecia bloqueado era em Caçapava. O trânsito estava paralisado do quilômetro 121 ao quilômetro 124, no sentido São Paulo, e do quilômetro 129 ao 124, no sentido Rio. 

A rodovia estadual SP-324, que liga Campinas ao aeroporto de Viracopos, foi interditada no quilômetro 89, devido a protestos. Há desvios nos quilômetros 88 e 90, segundo o DER-SP.

&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;a data-cke-saved-href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/greve-geral/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot; href=&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/greve-geral/&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;quot;&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;Greve Geral&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;lt;/a&amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;amp;gt;

Rio de Janeiro
Manifestantes bloquearam no início da manhã uma ponte que liga os municípios de Rio das Ostras e Macaé, no norte fluminense. O protesto, coordenado pelo Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) e pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), tem a participação de outros movimentos sociais.

Por volta das 5h, eles fecharam a rodovia que liga as duas cidades e atearam fogo a pneus, em frente ao Parque dos Tubos, na localidade de Imboassica, em Macaé. Além das pautas nacionais, os manifestantes de Macaé pedem a redução dos gastos da prefeitura e da Câmara Municipal e saneamento básico em todo o município.

Na região metropolitana, manifestantes ocuparam faixas da BR-463, no município de Itaguaí. Eles atearam fogo em pneus e pedaços de pau em frente à sede da Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep), estatal que fabrica cascos de submarino e equipamentos para plataformas de petróleo e para usinas nucleares. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o protesto foi rápido e as pistas já estão liberadas.

Segundo a assessoria de imprensa da Nuclep, a fábrica de Itaguaí está fechada hoje porque seus funcionários aderiram à paralisação nacional e participaram de manifestação em frente à estatal.

Rio Grande do Sul
Ao menos seis rodovias estavam bloqueadas no Estado nesta manhã: BR-116, BR-285, BR-290, BR-293, BR-392 e BR-153.

Na BR-116, houve bloqueios em Canoas e Sapucaia, na região metropolitana de Porto Alegre, em Caxias do Sul, na serra gaúcha, e em São Lourenço do Sul, no sul do Estado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, às 9h30 a pista havia sido liberada em Canoas, persistindo os demais bloqueios.

Também na Grande Porto Alegre, um protesto bloqueou o vão móvel da ponte que cruza o lago Guaíba, na BR-290. Em seguida, os manifestantes ocuparam a praça de pedágio de Eldorado do Sul, no quilômetro 110 da rodovia, liberando as cancelas.

Em São Borja, na fronteira com a Argentina, manifestantes bloquearam a ponte que liga os dois países, na altura do quilômetro 676 da BR-285, por volta das 7h30. Já a BR-153 foi bloqueada no trevo de acesso a Erechim e Gaurama.

Houve dois bloqueios distintos na BR-293. Às 7h, cerca de 40 manifestantes bloquearam a pista no quilômetro 108 da rodovia, em Pinheiro Machado. Uma hora depois, um segundo grupo bloqueou a pista no quilômetro 15, em Capão do Leão. Em Rio Grande, no sul do Estado, a BR-392 foi bloqueada em dois trechos distintos, nos quilômetros 8,9 e 2,4.

Bahia
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) contabiliza três rodovias bloqueadas no Estado. Em Eunápolis, manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) interditaram os dois sentidos da BR-116, na altura do quilômetro 694. Em Barreiras, a manifestação dos sem-terra ocorria no quilômetro 827 da BR-242. Houve também interrupção dos quilômetros 604 e 518 da BR-324.

Minas Gerais
Ao menos uma rodovia federal que corta o Estado foi bloqueada por protestos. Em Frei Inocêncio, os manifestantes bloquearam o quilômetro 370 da BR-116 às 9h45. Pouco tempo depois, porém, a via foi liberada.

Espírito Santo
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou bloqueios nas BRs 101 e 262. Em Pavilhão de Carapina, os manifestantes bloquearam o quilômetro 269 da BR-101, mas a via foi liberada às 10h. Na BR-262, o protesto interditou a segunda ponte de Vitória, em Cariacica.

Sergipe
Segundo a PRF, houve três bloqueios na BR-101, em Malhada dos Bois (quilômetro 23), Japaratuba (km 46) e Itaporanga (km 113).

Goiás
A PRF de Goiás registrou bloqueio apenas na BR-153, no trevo de Itapaci, próximo a Rialma. A via foi liberada às 8h30.

Pernambuco
Pelo menos seis rodovias federais foram interditadas em Pernambuco. Segundo a PRF, a BR-116 foi bloqueada com galhos e pneus no quilômetro 44, em Salgueiro. Os manifestantes exigiam que a rodovia estadual PE-460 seja asfaltada. Na BR-232, em São Caetano, um grupo de sem-terra ateou fogo em pneus, bloqueando totalmente a via no quilômetro 143, em frente ao assentamento Santa Isabel.

Houve também interdições nas rodovias BR-101 (quilômetro 6, em Goiana), BR-428 (quilômetros 0, em Belém São Francisco, e 94, em Santa Maria Boa Vista), BR-104 (quilômetro 41, em Caruaru) e BR-423 (quilômetro 169, no acampamento do MST Águas Belas).

Alagoas
A PRF de Alagoas registra três rodovias bloqueadas. Em Flexeiras, no km 51 da BR-101, a pista foi totalmente interditada pelo MST. Segundo a PRF, o grupo reivindica a liberação de uma bolsa escola pelo Banco do Brasil da cidade de São Luís do Quitunde, no valor de R$ 60 mil, e a construção de casas. Uma equipe da PRF está no local. Também na BR-101, no quilômetro 37, em Joaquim Gomes, a pista foi totalmente interditada por sem-terra, que reivindicam a presença do Incra no local. Houve também bloqueios nos quilômetros 14 e 75 da BR-101.

Na BR-104, manifestantes do Movimento Nacional de Luta pela Moradia e Via do Trabalho bloquearam a pista no quilômetro 91. Eles reivindicam a construção de mais casas e uma reunião com o governador do Estado. No quilômetro 58 da mesma via, a pista foi interditada por sem-terra, próximo ao acampamento da Usina São Semeão. Já a BR-423 foi bloqueada na altura do quilômetro 107, em Delmiro Gouveia.

Paraná
A Polícia Rodoviária Federal paranaense contabiliza três rodovias bloqueadas nesta manhã na região metropolitana de Curitiba: BR-376, BR-277 e BR 376.

Ceará
A PRF registrou interdição apenas na BR-222, na região de Sobral. Os manifestantes interditaram totalmente o trevo de Santana do Acaraú. Por volta das 10h40, a pista foi liberada, e os manifestantes iniciaram marcha em direção à prefeitura de Sobral.

Paraíba
Pelo menos quatro rodovias federais que cruzam o Estado foram bloqueadas nesta manhã. Segundo a PRF, houve bloqueios nas BRs 101 (em Caaporã e Mamanguape), 230 (Cabedelo, Cajazeiras e Sousa) e 361 (Olho D'Água).

Rio Grande do Norte
A PRF afirma que manifestantes bloquearam a BR-101, em Natal. O grupo se concentrava, às 11h, em frente ao Midway, com trajeto previsto para seguir em direção à Arena das Dunas, estádio em construção que abrigará a Copa do Mundo na cidade. Segundo a PRF, a avenida Prudente de Morais, a Via Costeira e o anel viário do campus podem servir de rotas alternativas de ligação entre o centro e a zona sul da capital potiguar

Greve geral
Milhões de trabalhadores prometem cruzar os braços e paralisar serviços fundamentais como bancos, indústria, obras, transporte público e construção civil em várias cidades. Entre as entidades que aderiram a paralisação nacional estão a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas), além do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da União Nacional dos Estudantes (UNE). 

Chamado pelos sindicatos de greve geral, o movimento - que pegou carona na onda de protestos que atingiu diversas cidades brasileiras em junho - é o quarto desse tipo em 190 anos, desde a Independência (7 de setembro de 1822). Em 2013, a novidade é a unificação dos sindicatos e movimentos sociais em uma pauta que cobra o avanço do Brasil.

 

Veja a lista divulgada pela Força Sindical das cidades que devem participar do dia de paralisações:

ESTADO CIDADES
Amazonas Manaus
Alagoas Maceió
Bahia Salvador, Itabuna, Alagoinhas, Brumado, Caetité, Jequié, Camaçari, Nazaré, São Roque e Itabuna
Ceará Fortaleza
Distrito Federal Brasília
Espírito Santo Vitória
Goiás Catalão e Anápolis
Mato Grosso Cuiabá
Mato Grosso do Sul Campo Grande
Minas Gerais Belo Horizonte e Ipatinga
Pará Belém
Paraná Curitiba
Pernambuco Recife
Rio de Janeiro Rio de Janeiro, Volta Redonda e Resende
Rio Grande do Norte Natal
Rio Grande do Sul Porto Alegre e Região Metropolitana
Santa Catarina Florianópolis, Criciúma, Itajaí e Chapecó
São Paulo São Paulo, Osasco, Santo André, Guarulhos, São Caetano, Santos, Barretos, Marília, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, Franca, Santos, Sorocaba, São José dos Campos, Lorena, Araçatuba, entre outras.
Sergipe Aracaju

 

 

Colaborou com esta notícia o internauta Moisés Rosa, de São José dos Campos (SP), que participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade