Motorista atropela grupo de ciclistas, fere 10 e foge no RS

atualizado em 7/12/2011 às 16h51
  • separator
  •  
  • comentários
Mauricio Tonetto
Direto de Porto Alegre

Um grupo de ciclistas que tradicionalmente percorre as ruas do bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, na última sexta-feira de cada mês à noite, foi atropelado por volta das 19h de hoje. Segundo a Brigada Militar (BM), 100 ciclistas do movimento Massa Crítica seguiam pela rua José do Patrocínio, quando foram surpreendidos por um Golf preto na esquina com a rua Luiz Afonso. A maioria escapou do atropelamento, mas 10 ficaram feridos, sendo cinco com lesões, que foram encaminhados ao Hospital de Pronto Socorro.

 Foto: Ramiro Furquim/Agência Freelancer / Especial para Terra
As bicicletas danificadas pelo atropelamento ficaram no cruzamento das vias
Foto: Ramiro Furquim/Agência Freelancer / Especial para Terra

Conforme um dos ciclistas, que se identificou apenas como Bruno, 21 anos, o motorista do Golf não respeitou a aglomeração e "tocou por cima". "Saímos do Largo Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa, mas ele rompeu a barreira. Sempre que tem esse movimento, há uma organização, e ele não respeitou isso. Nós ainda dissemos 'tem que esperar, vamos respeitar', mas ele não gostou e uns 500 m depois atropelou quem pode".

A polícia disse que o atropelamento foi intencional e que o motorista do Golf acelerou várias vezes antes de derrubar os ciclistas. Após ouvir testemunhas, os policiais conseguiram a placa do veículo e identificaram o proprietário como Ricardo José Neif, 47 anos. A BM foi até a garagem onde o carro fica estacionado, mas não encontrou o suspeito.

Quatro viaturas da BM e cinco ambulâncias fizeram o atendimento dos feridos. A rua estava bloqueada e um grupo de ciclistas fez protesto exigindo segurança no trânsito. O movimento Massa Crítica, segundo o seu site, "é uma celebração da bicicleta como meio de transporte. Acontece quando dezenas, centenas ou milhares de ciclistas se reúnem para ocupar seu espaço nas ruas e criar um contraponto aos meios mais estabelecidos de transporte urbano. A Massa Crítica é organizada de forma horizontal, não tem representantes, porta-vozes, nem líderes. Ela não tem uma voz. Ela tem tantas vozes quanto participantes. Cada um é livre para levar a manifestação ou a reivindicação que quiser".

Terra

compartilhe

publicidade
publicidade