0

Jovem que atropelou ciclista recusou bafômetro, diz polícia

Alex Siwek, 22 anos, confessou ter jogado o braço da vítima em um rio após o atropelamento. Testemunhas relataram direção perigosa do jovem

10 mar 2013
18h27
atualizado às 19h08
  • separator
  • comentários

O motorista que atropelou um ciclista de 21 anos em São Paulo e confessou ter se livrado do braço da vítima, amputado em razão da colisão, aparentava embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro. A informação é de policiais que atenderam o estudante de Psicologia  Alex Siwek, 22 anos. Testemunhas ouvidas relataram que o condutor dirigia em alta velocidade e cortava o trânsito em um Honda Fit prata.

<p>O motorista que atropelou o ciclista esconde o rosto ao chegar ao 78º DP com o advogado para prestar depoimento</p>
O motorista que atropelou o ciclista esconde o rosto ao chegar ao 78º DP com o advogado para prestar depoimento
Foto: Futura Press

O limpador de vidros David Santos Souza, 21 anos, foi socorrido ao Hospital das Clínicas pelo Corpo de Bombeiros, por volta das 6h. Segundo o hospital, o estado de saúde do ciclista é estável.

De acordo com o subtenente Jaime de Souza Melo, um dos responsáveis pela ocorrência, Siwek estava transtornado ao chegar a um posto policial do bairro Saúde, onde confessou, cerca de uma hora depois do atropelamento, o que havia ocorrido. “Me prende, eu atropelei uma pessoa”, dizia ele aos policiais, segundo o oficial.

<p>Mãe mostra carteira de identidade de David Santos Souza, ciclista de 21 anos que perdeu o braço</p>
Mãe mostra carteira de identidade de David Santos Souza, ciclista de 21 anos que perdeu o braço
Foto: Daniel Fernandes / Terra

Ele se dispôs a fazer o trajeto que percorrera com os policiais, com o objetivo de procurar o braço do ciclista, mas acabou confessando ter jogado o membro da vítima no Córrego do Ipiranga, na avenida Ricardo Jafet.

O motorista contou aos policiais que, após o atropelamento, deixou um amigo que estava com ele em casa, jogou o braço no rio, foi para casa e só depois se dirigiu à polícia. A polícia ainda tem dúvidas se o braço foi parar dentro do carro. O estudante afirma que a parte amputada do corpo do ciclista caiu acidentalmente dentro do carro.

A polícia estuda como deve enquadrar criminalmente o ato do jovem de ter jogado o braço no rio – se como um agravante da lesão corporal ou como mais um crime cometido. Siwek deve seguir preso pelo menos esta noite para que os trabalhos de investigação sejam finalizados. O carro foi periciado na casa do motorista.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade