publicidade
04 de janeiro de 2010 • 13h26 • atualizado às 13h35

Sobe para 50 o número de vítimas em Angra dos Reis

mapa angra rio de janeiro-arte terra-info
Foto: Arte / Terra
 

O número de mortos em Angra dos Reis, litoral sul do Rio de Janeiro, subiu para 50 nesta segunda-feira, segundo informações da prefeitura. No total, foram achados 21 corpos no Morro da Carioca e 29 na Praia do Bananal, na Ilha Grande.

As buscas no Morro da Carioca foram reiniciadas por volta das 7h30, após terem sido suspensas na noite de domingo.

O vice-governador e secretário de Obras do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou na manhã desta segunda-feira que a situação na cidade de Angra dos Reis ainda é preocupante. Ele disse que sobrevoou a cidade com técnicos e foram detectados cerca de 40 pontos de possíveis deslizamentos, o que pode acontecer se voltar a chover na região. Em uma reunião com o governador Sérgio Cabral serão definidas algumas ações emergenciais.

Pezão diferenciou as situações do Morro da Carioca, no centro de Angra, e da Ilha Grande. No primeiro caso, a presença humana é forte, com construções em áreas de risco e a retirada da cobertura vegetal da região. Já na Ilha Grande, a região é ocupada por uma colônia japonesa há cerca de 60 a 70 anos e, inclusive pelas fotos, percebe-se que não havia qualquer interferência do homem na área que deslizou.

Tragédia em Angra
Deslizamentos de terra causaram dezenas de mortes na madrugada do dia 1º em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. No centro de cidade, uma encosta cedeu e deslizou por cima de casas no Morro da Carioca. Na Ilha Grande, o deslizamento por conta das chuvas durante a madrugada encobriu a pousada de luxo Sankay, lotada de turistas, e mais sete casas, na enseada do Bananal. Cerca de 120 homens da Defesa Civil, dos Bombeiros e da Marinha participam do resgate.

Redação Terra