Brasil

publicidade
17 de janeiro de 2011 • 17h38 • atualizado às 17h52

Saque do FGTS por vítimas de chuva não é imediato, diz Caixa

Moradores da região serrana do Rio de Janeiro perderam quase tudo com as inundações
Foto: Reinaldo Marques / Terra

As vítimas das chuvas no Sudeste do Brasil não poderão sacar imediatamente o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Segundo a assessoria do banco, ainda não há no sistema informações sobre o procedimento para o saque do FGTS. As informações devem estar disponíveis em até sete dias. Na última quinta-feira, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, havia afirmado que a liberação seria imediata.

O pagamento do FGTS acontece após o recebimento, pela Caixa, da Declaração de Área Atingida, que deve ser emitida pelas prefeituras das cidades envolvidas. Serão beneficiadas as pessoas que vivem em locais de estado de calamidade pública ou situação de emergência e que sejam habilitados junto à Caixa, mediante comprovação de titularidade de conta vinculada e de residência em uma das áreas afetadas.

Para sacar o fundo, a pessoa devem apresentar os seguintes documentos:
Identidade, carteira de habilitação ou passaporte;
Comprovante de residência ou declaração da prefeitura;
Carteira de Trabalho;
Cartão do Cidadão (opcional).

No caso de a vítima receber o benefício do Bolsa-Família, ela deve levar o cartão social e a senha ou um documento de identificação. Se tiver perdido o cartão e documentos de identificação, poderá sacar o benefício mediante apresentação de declaração da prefeitura.

Chuvas na região serrana
As fortes chuvas que atingiram os municípios da região serrana do Rio nos dias 11 e 12 de janeiro provocaram enchentes e inúmeros deslizamentos de terra. As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.

Veja onde foram registradas as mortes:

Redação Terra