1 evento ao vivo

RJ: polícia cria força-tarefa para identificar mais de 240 mortos

12 jan 2011
20h26
atualizado às 21h21
  • separator
  • comentários

A Policia Civil do Rio de Janeiro criou uma força-tarefa para ajudar nos trabalhos de resgate e identificação das vítimas da tragédia causada pelas chuvas na Região Serrana do Estado. Uma equipe de cerca de 20 peritos e papiloscopistas estão no local e outros agentes vão se deslocando para reforçar o efetivo e dar suporte imediato às vítimas.

Além das mortes, chuvas causaram estragos materiais no Rio de Janeiro
Além das mortes, chuvas causaram estragos materiais no Rio de Janeiro
Foto: Paulo Cezar/Agencia OGlobo / EFE

Além dos policiais, dois helicópteros da Polícia Civil auxiliam nas buscas e transporte. Para agilizar a retirada dos corpos, os parentes dos mortos, munidos de documento que comprove o grau de parentesco, podem assinar o termo de reconhecimento no local. A força-tarefa estará disponível por tempo indeterminado e trabalhará durante 24 horas por dia.

As fortes chuvas que atingiram os municípios da região serrana do Rio de Janeiro provocaram a morte de pelo menos 247 pessoas desde a noite de terça-feira, segundo levantamento feito pelo Terra a partir de dados das defesas civis municipais. Entre as vítimas, estão três bombeiros que seguiam para Nova Friburgo para auxiliar no resgate de famílias soterradas.

Outros três bombeiros foram resgatados dos escombros e um continua soterrado, segundo a Secretaria Estadual da Saúde. Mais cedo, o Corpo de Bombeiros havia informado que quatro soldados tinham morrido no deslizamento. A secretaria disse também que mais quatro pessoas morreram após as chuvas na cidade, entre elas uma criança e um bebê

Em Teresópolis, a prefeitura registrou 130 mortes em alagamentos e deslizamentos. De acordo com a prefeitura, ainda não é possível contabilizar o número de desaparecidos e desabrigados porque muitas áreas ainda continuam inacessíveis. Em Nova Friburgo, são 97 vítimas.

Em Petrópolis, a prefeitura informou que foram registradas 20 vítimas. As mortes aconteceram nas localidades de Vale do Cuiabá, Estrada das Arcas, Gentil, Madame Machado e Brejal, mas os números podem passar dos 40, pois segundo equipes da Defesa Civil do município muitas pessoas foram arrastadas pelas águas na região.

Esta manhã, o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, fez um sobrevoo na região e conversou com lideranças políticas sobre os estragos. O governador do Estado, Sérgio Cabral, disse em comunicado que lamenta pelas mortes e demonstrou solidariedade às famílias dos bombeiros mortos em Nova Friburgo. Cabral também solicitou o apoio da Marinha Brasileira, no transporte da frota e de equipamentos do Corpo de Bombeiros às áreas atingidas.

Veja onde foram registradas as mortes:

Em 2010, mais de 300 mortos


No ano passado, pelo menos 310 pessoas morreram em duas grandes tragédias causadas pelas chuvas. A primeira foi em Angra dos Reis, quando dezenas de pessoas morreram na madrugada de 1º de janeiro após deslizamentos de terra, e a outra aconteceu em abril, mês em que choveu muito no Estado, causando deslizamentos de terra como no Morro do Bumba, em Niterói.

Redação Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade