0

Rio: 'Situação é crítica', diz subcomandante dos Bombeiros

13 jan 2011
16h28
atualizado às 17h30

O coronel José Paulo Miranda, chefe do Estado-Maior e subcomandante do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, afirmou nesta quinta-feira que o cenário na região serrana do Estado ainda é de destruição e que as equipes estão trabalhando para atender os feridos, vítimas das fortes chuvas.

"O cenário ainda é de muita destruição, a situação é extremamente crítica, mas a gente tem que avançar, não podemos parar", disse Miranda. "Nós temos informações de várias ocorrências, de deslizamentos, de desabamento. Nós estamos tentando acessar todas elas o mais rapidamente possível", completou o coronel.

Cerca de 500 homens do Corpo de Bombeiros atuavam nesta quinta-feira na região serrana do Rio de Janeiro para tentar resgatar feridos e corpos de vítimas da chuva que começou a cair na noite de terça-feira.

A equipe trabalhava com apoio de maquinaria pesada para remover barreiras em estradas de acessos a locais mais afastados, além de helicópteros para chegar às áreas cujo acesso por terra é impossível.

"Nós montamos um hospital de campanha em Teresópolis e a Marinha tem a previsão de montar um hospital de campanha em Friburgo. Mesmo assim, nós estamos remanejando médicos dos Bombeiros para aquela região. Hoje, o atendimento aos feridos é prioritário", acrescentou Miranda.

De acordo com autoridades locais, mais de 390 pessoas já morreram na tragédia. A cidade mais afetada foi Teresópolis, com 172 mortos, seguida por Nova Friburgo com 169, Petrópolis com 39 e Sumidouro com 17.

A expectativa é de que esse número aumente ao passo que as equipes de resgate consigam chegar aos locais de difícil acesso.

A Polícia Civil do Estado montou em Teresópolis e em Nova Friburgo uma força-tarefa para a identificação dos corpos, segundo Miranda. Em Teresópolis, com a capacidade do Instituto Médico Legal esgotada, uma igreja era usada para armazenar os cadáveres retirados dos escombros.

O Ministério da Justiça determinou o envio de 210 membros da Força Nacional de Segurança Pública para a região, entre policiais militares, bombeiros e peritos para ajudar na identificação dos corpos.

A presidente Dilma Rousseff, que na véspera assinou medida provisória liberando 780 milhões para as áreas atingidas, sobrevoa a região serrana nesta quinta.

Cerca de 500 homens do Corpo de Bombeiros atuavam nesta quinta-feira na região serrana do Rio de Janeiro
Cerca de 500 homens do Corpo de Bombeiros atuavam nesta quinta-feira na região serrana do Rio de Janeiro
Foto: Vanderlei Almeida / AFP
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade