2 eventos ao vivo

Protesto de servidores em greve prejudica trânsito na Esplanada

15 ago 2012
11h03
atualizado às 14h45

Um protesto dos servidores federais em greve prejudica o trânsito na Esplanada dos Ministérios, região central de Brasília, nesta quarta-feira. Os manifestantes se concentraram no início da manhã em frente à Catedral Metropolitana e, pouco após as 10h, saíram marchando pela Esplanada, fechando parte da pista. Os veículos que se aproximam estão sendo desviados pela Polícia Militar.

O objetivo da manifestação é pressionar o governo na semana em que o Ministério do Planejamento negocia com as categorias paralisadas
O objetivo da manifestação é pressionar o governo na semana em que o Ministério do Planejamento negocia com as categorias paralisadas
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Veja como a greve dos servidores federais pode afetar sua rotina

De acordo com a Confederação dos Trabalhadores do Serviço Público Federal (Condsef), participam do ato 12 mil servidores de várias unidades da Federação. Eles chegaram a Brasília de ônibus na segunda e na terça-feira e estão acampados na Esplanada. A Polícia Militar do Distrito Federal (DF) não confirmou o número, mas também não divulgou uma estimativa própria.

Segundo o Condsef, o objetivo da manifestação é pressionar o governo na semana em que o Ministério do Planejamento negocia com as categorias paralisadas. Os servidores carregam bandeiras e faixas, além de apitos, cornetas e tambores. Eles são acompanhados por dois carros de som.

O movimento grevista
Iniciados em julho, os protestos e as paralisações de servidores de órgãos públicos federais aumentaram no mês de agosto. Pelo menos 25 categorias estão em greve, tendo o aumento salarial como uma das principais reinvindicações. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), o movimento atinge 28 órgãos, com 370 mil servidores sem trabalhar. O número, no entanto, é contestado pelo governo.

Estão em greve servidores da Polícia Federal, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Arquivo Nacional, da Receita Federal, dos ministérios da Saúde, do Planejamento, do Meio Ambiente e da Justiça, entre outros. O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (Sinagências) informou que dez agências reguladoras aderiram ao movimento.

O Ministério do Planejamento declarou que está analisando qual o "espaço orçamentário" para negociar com as categorias. O governo tem até o dia 31 de agosto para enviar o projeto de lei orçamentária ao Congresso Nacional. O texto deve conter a previsão de gastos para 2013.

No dia 25 de julho, a presidente Dilma Rousseff assinou decreto para permitir a continuidade dos serviços em áreas consideradas delicadas. O texto prevê que ministros que comandam setores em greve possam diminuir a burocracia para dar agilidade a alguns processos, além de fechar parcerias com Estados e municípios para substituir os funcionários parados.

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade