PUBLICIDADE

Presidente da Air France: piloto do vôo 447 era experiente

1 jun 2009 09h13
| atualizado às 10h01
Publicidade

Lúcia Jardim

Direto de Paris


O comandante responsável pelo vôo da Air France AF 447, que desapareceu horas depois de decolar do Rio de Janeiro rumo a Paris, era experiente, afirmou Pierre Henri Gorgeon, presidente da companhia em uma entrevista concedida na manhã desta segunda no aeroporto Charles De Gaulle.

"Não há esperanças de encontrar avião", diz Air France:

Mais cedo, o jornal francês Le Monde publicou em sua edição online que a aeronave que desapareceu tinha passado por uma revisão completa no último dia 16 de abril e que nada de irregular foi constatado. Ainda de acordo com um representante da empresa ouvido pelo jornal, o avião fez o último contato com a empresa às 3h30 da manhã, pelo horário de Paris (22h30 de domingo em Brasília).

Em seguida a aeronave teria entrado em uma zona de tempestades e forte turbulência por pelo menos 30 minutos. Por volta das 4h15, a aeronave teria emitido uma série de alertas automáticos antes de desaparecer dos radares.

Um Airbus da Air France que fazia uma viagem do Rio de Janeiro para Paris, na França, desapareceu dos monitores dos radares às 6h GMT (3h de Brasília) desta segunda-feira. A aeronave sumiu perto da costa brasileira. Segundo a empresa, há 228 pessoas na aeronave, sendo 216 passageiros e 12 tripulantes.

Em comunicado, divulgado às 12h35 locais (7h35 de Brasília) a Air France informou que "não há mais esperanças de localizar o vôo AF 447". Mais cedo, às 12h locais (7h de Brasília), a companhia havia confirmado não ter notícias do vôo.

"A Air France lamenta anunciar que não tem notícias do vôo AF 447 que fazia a viagem Rio-Paris e compartilha a emoção e a preocupação das famílias afetadas", declarou um porta-voz da companhia aérea francesa.

O Airbus A330 saiu do Rio de Janeiro no domingo, às 19h (horário de Brasília), e deveria chegar ao aeroporto Roissy - Charles de Gaulle de Paris pousar às 11h10 locais (6h10 de Brasília), disse um porta-voz. Segundo as fontes, o aeroporto parisiense criou uma célula de crise durante a manhã.

A Força Aérea Brasileira (FAB) já iniciou as buscas à aeronave, ainda durante a madrugada desta segunda-feira, na região do Oceano Atlântico, a nordeste do arquipélago de Fernando de Noronha. Um avião Hércules decolou da Base Aérea do Galeão, no Rio, para ajudar nas buscas.

"A preocupação é muito grande. O avião desapareceu dos monitores de controle há várias horas. Pode ser uma falha técnica dos radares, mas este tipo de avaria é pouco comum e o avião não pousou como estava previsto", declarou uma fonte aeroportuária francesa.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, emitiu nota oficial dizendo que lamenta saber do ocorrido e que o governo francês vai disponibilizar todos os esforços para ajudar nas buscas.

Autoridades informaram que a Marinha francesa deve enviar fragatas para busca a partir de uma base em Dakar, no Senegal. Ainda conforme a França, o avião poderia estar mais próximo da costa africana do que da brasileira.

No aeroporto Charles de Gaulle, os painéis ainda mostram o vôo como "em atraso". As famílias estão sendo recebidas em uma sala especial. Há uma mensagem sendo divulgada pelos alto-falantes solicitando a todos os familiares que chegam ao local para se dirigirem a essa sala. No Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão), a Air France também montou uma sala para atender parentes dos passageiros.

A Air France disponibilizou dois telefones para divulgar informações sobre o vôo AF 447. No Brasil, as ligações são feitas para o número 00 331 5702 1055, da central de atendimento da Air France. Da França, as ligações podem ser feitas diretamente para 0800 800 812.

Fonte: Redação Terra
Publicidade