1 evento ao vivo

Viúva de piloto dos Mamonas Assassinas critica Feliciano

Da mesma cidade que lançou o pastor, Cristiane Parreira Martins lamenta os 'comentários infelizes'

22 abr 2013
09h26
atualizado às 09h26
  • separator
  • comentários

A viúva do piloto Jorge Martins, comandante do avião Learjet 25, que caiu em março de 1996 com a banda Mamonas Assassinas, se manifestou sobre as afirmações feitas pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP) em um culto evangélico, nas quais ele cita o acidente que vitimou seu marido. Segundo a empresária Cristiane Parreira Martins, 43 anos, moradora da cidade de Orlândia (SP), terra natal do deputado, o pastor fez um “comentário infeliz, numa hora infeliz”.  "Sou moradora de Orlândia há 43 anos, tenho uma filha de 20 anos e uma de 18 e sou conhecida na cidade, como ele é. Foi uma atitude, uma pregação infeliz." No vídeo, de 2005, Feliciano diz que sua mulher estudou com a viúva do piloto - Cristiane nega - e afirma que Deus teria derrubado o avião que transportava os cinco músicos da banda por causa de suas músicas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

<p>O deputado preside atualmente a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara</p>
O deputado preside atualmente a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara
Foto: Alexandra Martins / Agência Câmara

Hildebrando Alves, pai do vocalista Dinho, disse que vai processar Feliciano pelas declarações. A viúva do piloto prefere agir de forma diferente. "Neste momento, eu consigo sentir dó, pena de um comentário que chegou a me perturbar, como perturbou às minhas filhas. Mas a gente tem de ser superior nessa hora", afirma Cristiane. "Quando o vídeo foi colocado na internet, nos machucou, nos feriu. Porque ele nos conhece, conhece minhas filhas, e sabia que aquela pregação infeliz e inútil nos machucaria." Cristiane compara o conceito de Deus exposto nas pregações de Feliciano. "Se Deus, o Deus do Marco, queria tirar esse grupo que cantava músicas ‘inconsequentes’ - sei lá como ele chamou -, o que o meu marido tinha a ver com isso? Ele não cantava, era o piloto, estava trabalhando, com uma filha de 1 ano e uma de 3 anos em casa", diz a viúva. "A gente tem de acreditar que o mesmo Deus dele não é meu Deus."


Para Feliciano, vocalista do Mamonas Assassinas vendeu a alma
Para Feliciano, o vocalista da banda Mamonas Assassinas, Dinho, se “vendeu ao diabo pelo vil dinheiro”. “Quem era o Dinho? Era da Igreja Assembleia de Deus de Guarulhos, vendeu a comunhão dele”, diz o pastor.  

“Um milhão e meio de cópias de discos vendidos. Alvo: crianças. Tocou na santidade de Deus, porque as crianças são a santidade de Deus. Jesus disse que pra entrar no céu, tem de ser como elas”, afirmou o pastor, que disse que o músico ensinava palavrões. 

No mesmo vídeo, o pastor afirma que um anjo provocou o desastre aéreo que vitimou os cinco integrantes do grupo, em 1996.  “Até hoje há uma interrogação do que aconteceu ali. Para os homens. Eu sei o que aconteceu ali”, afirma o pastor. “O avião estava no céu, região do ministro do juízo de Deus. Lá na Serra da Cantareira. Ao invés de mirar para um lado, o manche tocou para o outro. Um anjo pôs o dedo no manche, e Deus fulminou aqueles que tentaram colocar palavras torpes na boca das nossas crianças”, diz Feliciano. 

Morte de John Lennon
Em outro vídeo, o deputado desenvolve uma teoria sobre a morte do ex-Beatle John Lennon. Segundo a versão de Feliciano, Lennon teria sido morto a tiros após ter afrontado Deus em algumas de suas declarações. “John Lennon um dia chegou diante das câmeras, bateu no peito e disse: ‘Os Beatles são mais populares do que Jesus Cristo’ - Jesus não pop star como ele, mas sim o mestre de uma grande religião”, disse Feliciano. Em seguida, ele citou outra declaração que o músico teria dado, que teria sido o estopim para a “vingança divina” sobre Lennon. “John Lennon estava olhando para as câmeras e disse: 'Nós Beatles somos uma nova religião’. A minha bíblia diz que Deus não recebe esse tipo de afronta e fica impune”, completou.

Vídeo de Feliciano falando da morte de John Lennon vira hit na web

Seguindo a sua linha de raciocínio, Feliciano relacionou o atentado cometido por um fã do ex-Beatle a uma providência divina, que culminou na morte de John Lennon. “Passou algum tempo depois desta declaração, está ele (Lennon) entrando em seu apartamento, quando ele abre a porta e escuta alguém chama-lo pelo nome, ele vira e é alvejado com três tiros no peito. Eu queria estar lá no dia em que descobriram o corpo dele. Ia tirar o pano de cima e dizer: ‘me perdoe John, mas esse primeiro tiro é em nome do Pai, esse é em nome do Filho e esse é em nome do Espírito Santo", falou o pastor, enquanto os fiéis ovacionavam a pregação de Feliciano.

As imagens geraram mais uma discussão nas redes sociais entre simpatizantes e opositores ao pastor Marco Feliciano. Desde que foi eleito para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o parlamentar tem sido alvo de diversos protestos que o acusam de racista e homofóbico. Apesar da pressão popular e política, Feliciano garante que não vai deixar o cargo.

Caetano Veloso e Raul Gil
Em outros vídeos, o deputado ataca o cantor Caetano Veloso e o apresentador Raul Gil. Em um dos vídeos, Feliciano aparece insinuando que os cantores Caetano Veloso e Lady Gaga teriam feito um pacto com o diabo para a conquista do sucesso. Nas imagens, ele desenvolve uma teoria para explicar o sucesso obtido por Caetano nas vendas do álbum Prenda Minha, de 1998.  “Há alguns anos, um cidadão sentado num banquinho, fazendo um show com uma viola, cantou uma musica cujo nome é Sozinho e, em uma semana, vendeu um milhão e meio de cópias. O pessoal da mídia foi rastrear a música e descobriu que Tim Maia gravou a música e Sandra (de) Sá também, e ninguém canta melhor do que os dois (...). Só que nenhum dos dois vendeu mais do que 30 mil cópias”, disse Feliciano.

Em novo vídeo, Feliciano ataca Caetano: "é do diabo"

De acordo com o pastor, o sucesso do baiano foi conquistado com a ajuda dos Orixás, por intermédio da mãe-de-santo Maria Escolástica da Conceição Nazaré, a Mãe Menininha do Gantois, morta em 1986. “Foram entrevistar o cantor baiano, que era Caetano Veloso, e perguntaram: ‘Caetano, qual o seu segredo. Você bateu Tim, você bateu Sandra Sá, com um violão só - um milhão de cópias’ e ele disse: ‘é simples, o meu segredo é a Mãe Menininha do Patuá (Sic). Antes de mandar qualquer música para rádio, para o Brasil, eu levo pra ela. E ela, possuída pelos orixás, diz assim: pode gravar porque eu abençoo’”, falou o pastor aos fiéis que acompanhavam atentamente o discurso.

Em outra filmagem polêmica, Feliciano aparece falando do apresentador Raul Gil e o programa de calouros comandado por ele, que, segundo Feliciano, seria um "engodo de Satanás". "Até algum tempo atrás eu estava orando aqui, dizendo 'Deus, o senhor tem abençoado o programa do Raul Gil'. O Senhor me repreendeu um dia na madrugada, dizendo: 'isso é um engodo de Satanás'. Porque a maioria das crentes estão indo cantar lá. Estão indo lá mostrar o talento, sob a palavra de que ali é um lugar onde a porta estava fechada para o evangelho e agora está aberta", afirma Feliciano no vídeo de pouco mais de um minuto de duração, diante de uma plateia de fieis.

Programa de Raul Gil é 'engodo de Satanás', diz Feliciano

O pastor ainda afirma que o programa age a mando de Satanás para tirar jovens talentos gospel da igreja, citando inclusive o "rei do rock" americano, Elvis Presley. "Pegue o primeiro menino, Robson Monteiro. Crente. Da Igreja do Evangelho Quadrangular. Veja o CD dele agora. Tá ouvindo? Está cantando para o mundo. Satanás está pagando o mesmo preço que pagou para tirar Elvis Presley da igreja", acrescenta. Por fim, aos gritos, o pastor recomenda aos fieis: "Não se venda! Não se venda!".

Desde que foi eleito para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o parlamentar tem sido alvo de diversos protestos que o acusam de racista e homofóbico. Apesar da pressão popular e política, Feliciano garante que não vai deixar o cargo.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade