PUBLICIDADE
AO VIVO
Refugiada fala sobre os desafios para recomeçar no Brasil

Política

Vereadora e deputada no RS, Maria do Rosário vira ministra

8 dez 2010 - 22h15
Compartilhar

A futura ministra da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, deputada Maria do Rosário (PT-RS), é natural de Veranópolis (RS). A professora, que está em seu segundo mandato como deputada federal, já foi filiada ao PCdoB antes de ingressar no PT. Maria do Rosário foi relatora da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Na Câmara, ela presidiu a Comissão de Educação, foi vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias e integrou ainda as comissões de Constituição e Justiça, Seguridade Social e Família.

Maria do Rosário iniciou sua carreira política como vereadora em Porto Alegre por dois mandatos, sendo também deputada estadual por um mandato. A futura ministra disputou a prefeitura de Porto Alegre em 2008 e perdeu para o peemedebista José Fogaça.

Novos ministros

A presidente eleita Dilma Rousseff anunciou oficialmente nesta quarta-feira os nomes dos ministros indicados pelo PMDB para sua gestão. Conforme acertado com o vice-presidente eleito, o deputado federal Michel Temer, o partido ficou com cinco pastas.

Hoje, além de Pedro Novais, foram anunciados o senador Garibaldi Alves Filho para o Ministério da Previdência, o ex-ministro e senador Edison Lobão para retornar ao comando do Ministério de Minas e Energia, o atual ministro da Agricultura, Wagner Rossi, para continuar no cargo, e o ex-governador do Rio de Janeiro Moreira Franco para a Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Além dos anunciados nesta noite, estavam confirmados no primeiro escalão o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (Casa Civil), o chefe de gabinete no governo Lula, Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência), o deputado federal e coordenador da transição José Eduardo Cardozo (Justiça), o atual ministro da Fazenda, Guido Mantega, a coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Miriam Belchior (Planejamento), o diretor de Normas e Sistema Financeiro do Banco Central, Alexandre Tombini (presidência do BC), e o atual ministro da Defesa, Nelson Jobim.

Estão cotados: a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, para permanecer no cargo; o senador Aloizio Mercadante, para assumir o Ministério de Ciência e Tecnologia; o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, para o Ministério do Desenvolvimento; e o secretário-geral do Itamaraty, Antonio Patriota, para o Ministério de Relações Exteriores.

Agência Brasil Agência Brasil
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra