0

Tucano: vereador da lista de dissidentes terá cargo na Executiva

26 abr 2011
18h00
atualizado às 18h11

Simone Sartori
Direto de São Paulo

O líder do PSDB na Câmara Municipal de São Paulo, Floriano Pesaro, afirmou na tarde desta terça-feira, após a sessão suspensa devido à morte do ex-vereador Mario Dias (DEM), que o colega tucano Adolfo Quintas ficará no partido e será nomeado, na quarta-feira, o novo secretário-geral do partido no município. Quintas foi listado como o parlamentar que deixaria a legenda junto de outros seis vereadores.

Floriano Pesaro disse que Adolfo Quintas será nomeado secretário-geral do PSDB no município
Floriano Pesaro disse que Adolfo Quintas será nomeado secretário-geral do PSDB no município
Foto: Léo Pinheiro / Terra

"Falei com ele hoje, ele disse que vai ficar e vai ser o secretário-geral do partido. Então, nós vamos ter quatro vereadores ocupando a Executiva. Essa é a maior presença de parlamentares na Executiva (municipal) nos últimos cinco, seis anos", afirmou Pesaro. A reunião para fechar a composição da Executiva municipal, que tem o secretário estadual de Gestão Pública, Julio Semeghini, como atual presidente, está marcada para amanhã à noite.

Indagado sobre o motivo da não realização de um acordo anterior à debandada tucana, motivada pelo processo de escolha dos cargos da Executiva municipal, o líder tucano foi retórico, mas afirmou que a saída dos vereadores do partido poderia ter sido evitada.

"Essa é uma boa pergunta a ser feita para aqueles que estavam conduzindo o processo, especialmente liderados por Julio Semeghini. Isso porque fechamos um acordo na quinta-feira da semana retrasada e esse acordo à noite foi desfeito. Precisou o próprio governador Geraldo Alckmin dizer que acordo feito precisa ser mantido. Se esperou muito tempo para tomar uma atitude que poderia ter sido tomada anteriormente", afirmou Pesaro sobre o processo de escolha dos cargos da Executiva.

Confiança na permanência dos vereadores
O líder tucano reafirmou que o partido ainda trabalha para segurar os seis dissidentes, mas crê na permanência de pelo menos dois vereadores na legenda. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, esses vereadores seriam Dalton Silvano e Juscelino Gadelha. Ambos participaram da sessão na Câmara, mas não comentaram o assunto.

"Tenho, mantenho a esperança de manter os dissidentes. Temos expectativa de reverter alguns dos nomes que já anunciaram a saída e manter todos os que permaneceram unidos com o partido. É uma questão de confiança mútua. Não é possível fazer política sem confiança. Precisamos unir e não desagregar", disse Pesaro.

Além de Adolfo Quintas, que, segundo Pesaro, será o secretário-geral do PSDB municipal, devem compor a Executiva o vereadores Gilson Barreto, como primeiro tesoureiro, Tião Farias, como segundo vice-presidente, e Claudinho de Souza, como vogal. Floriano Pesaro também terá assento na Executiva, como líder de bancada, e Fábio Lepique será o segundo tesoureiro. Julio Semeghini já foi eleito como presidente do diretório e terá João Câmara como primeiro-vice-presidente. A reunião que deve anunciar os membros da Executiva será na quarta-feira, às 19h30, na sede do Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo, na região central de São Paulo.

O vereador Adolfo Quintas retornou à Câmara Municipal na semana passada após cumprir um período de licença médica. Ele não compareceu à Câmara nesta terça-feira, mas a sua assessoria confirmou que o parlamentar convocará a imprensa amanhã, antes do provável anúncio de seu nome como membro da Executiva.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade