0

Tiririca erra, vota em mínimo de R$ 600 e contraria partido

16 fev 2011
23h49
atualizado em 17/2/2011 às 00h38
Luciana Cobucci
Direto de Brasília

O deputado federal Francisco Everardo Oliveira, o Tiririca (PR-SP), errou na primeira votação em que participou como parlamentar. Na noite desta quarta-feira, ele votou a favor na primeira emenda ao projeto de lei do salário mínimo, que determinava um aumento para R$ 600, contrariando o seu partido. O PR, da base governista, é contra a proposta.

Na primeira votação na Câmara, Tiririca votou errado e contrariou seu partido
Na primeira votação na Câmara, Tiririca votou errado e contrariou seu partido
Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

A assessoria de Tiririca garantiu que foi um engano do parlamentar, que se confundiu na hora da votação. A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que fixa o valor do salário mínimo em R$ 545 a partir de 1º de janeiro de 2011. O texto ainda segue para o Senado.

A fórmula usa o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores, somado com a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do último ano para calcular qual o acréscimo que será feito no mínimo. Devido a crise mundial, contudo, não houve crescimento em 2009, assim, o valor deste ano apenas seria corrigido pela inflação.

Tiririca foi o deputado mais votado da história das eleições brasileiras, recebendo 1,3 milhão de votos no pleito de outubro. O mandato do deputado esteve ameaçado pela suspeita de que ele seria analfabeto (condição que o impediria de assumir o cargo). Tiririca teve que se submeter a um teste no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, em que comprovou capacidade de ler e escrever.

Fonte: Terra
publicidade