0

Se eleição fosse hoje, Dilma iria para o 2º turno, diz pesquisa

Levantamento verificou crescimento da rejeição a todos os políticos

16 jul 2013
11h20
atualizado às 11h28
  • separator
  • comentários

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) em parceria com a MDA Pesquisas aponta que, se a eleição presidencial fosse hoje, a presidente Dilma Rousseff não conseguiria vencer a disputa no primeiro turno em nenhum dos cenários formados. 

<p>Pesquisa aponta dificuldade de reelei&ccedil;&atilde;o no primeiro turno&nbsp;para a presidente Dilma</p>
Pesquisa aponta dificuldade de reeleição no primeiro turno para a presidente Dilma
Foto: AgNews

Segundo o levantamento, Dilma conseguiria 33,4% dos votos. A ex-senadora Marina Silva (sem partido) aparece em segundo lugar, com 20,7% das intenções de voto. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) vem na terceira posição, com 15,2%, e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), aparece em quarto lugar, com 7,4% das intenções de voto.

O levantamento, divulgado nesta terça-feira, ouviu 2.002 pessoas entre os dias 7 e 10 de julho. As entrevistas foram realizadas em 134 municípios de 20 Estados nas cinco regiões e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

O diretor-presidente da MDA Pesquisas, Marcelo Souza, explica que foi detectada uma rejeição acima do normal em relação a todos os políticos nesta pesquisa. Isso é explicado pelo alto número de entrevistados que disseram que não votariam em nenhum dos candidatos, votariam em branco ou anulariam o voto. Neste levantamento, foram 17,9% contra 8,4% verificados na última sondagem. Do total, 5,4% não souberam dizer em quem votariam ou não responderam.

Em cenários virtuais de segundo turno, Dilma venceria em todos, mas teria algumas complicações. A disputa mais acirrada seria com Marina Silva. A presidente teria 38,2% dos votos, contra 30,5% da ex-senadora. Contra Aécio Neves (26,2%), a vantagem de Dilma se ampliaria para 39,6%. Já se o oponente fosse Eduardo Campos, Dilma venceria com 42,1% dos votos, contra 17,7% do pernambucano.

A rejeição à presidente também aumentou consideravelmente. Entre todos os nomes colocados à disposição do eleitor, Dilma é que mais recebeu indicações de entrevistados que não votariam nela de jeito nenhum. Foram 44,7%, contra 36% de Aécio Neves, 31,5% de Marina Silva e 31,9% de Eduardo Campos. 

Ainda assim, Dilma é a que mais tem citações quando o entrevistado é questionado sobre em quem seria o único no qual votaria. Dilma foi lembrada por 20,5% dos ouvidos na pesquisa. Aécio recebeu 5,9% da intenções, Marina teve 9,5% e Campos, 2,8%.

Na declaração espontânea de voto, Dilma aparece com 14,8% das intenções de voto, seguida de perto pelo ex-presidente Lula, com 10,5%. Marina Silva tem 5,9% das intenções, e Aécio vem com 4,9% de preferência do eleitorado. Campos foi lembrado por 1,4% dos entrevistados e apenas 1,2% declararam voto no ex-governador José Serra (PSDB-SP). O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, foi citado por 0,7% dos eleitores ouvidos. Entrevistados que não votariam em nenhum dos candidatos, votariam em branco ou anulariam o voto somaram 21,6% e 37,4% não souberam dizer em quem votariam ou não responderam.

Em pesquisa espontânea, 22,1% disseram querer ver o PT no comando do Planalto no próximo mandato. A preferência dos tucanos entre o eleitorado é de 5,6%; do PMDB, 2,1%, e do PSB, 1,1%. A maioria (43,1%) não soube ou não quis opinar. Do total, 20% disseram não querer nenhum partido político na Presidência.

Fonte: Terra
  • separator
  • comentários
publicidade