1 evento ao vivo

Política

Sartori toma posse com cortes de gastos e protesto no RS

Daniel Favero / Terra

"É hora de chorar menos e fazer mais", disse o governador eleito do RS, durante sua posse

1 jan 2015
17h08
atualizado às 19h14
  • separator
  • comentários

José Ivo Sartori (PMDB) foi empossado como governador do Estado do Rio Grande do Sul, nesta quinta-feira, prometendo medidas “duras” e “difíceis” para sanar os problemas financeiros - como o decreto que suspende o pagamento de fornecedores por seis meses - , e já no caminho ao Piratini, enfrentou manifestações contra a extinção da Secretaria de Políticas das Mulheres. Já no palácio, o novo governador foi recebido com frieza por Tarso Genro, que não aplaudiu em nenhum momento o sucessor na transmissão do cargo.

Sartori durante a posse na Assembleia Legislativa do RS
Sartori durante a posse na Assembleia Legislativa do RS
Foto: Vinicius Reis / Agência ALRS

“É obrigatório, porque é absolutamente necessário, é imperioso. O Rio Grande do Sul queimou todas as suas possibilidade de buscar dinheiro para financiar os seus déficits, ou gastou mais do que arrecada - o que vem acontecendo nos últimos anos - então o volume da despesa prevista não cabe dentro da receita. A previsão para este ano é de ter um déficit de mais de R$ 5,5 bilhões”, afirmou o secretario da Fazenda Giovani Feltes logo cedo, em entrevista ao Terra, quando começaram a pipocar detalhes sobre a moratória que surgirá como primeira medida do novo governo, e nas quais disse que o impacto da medida será de aproximadamente R$ 700 milhões.

Em seu discurso de posse na assembleia, Sartori defendeu a melhoria dos serviços públicos, mas também falou sobre medidas mais “duras, difíceis, mas inadiáveis e fundamentais”, mensagem clara do decreto que está por vir. O texto ainda não foi divulgado, mas sabe-se que cortará ainda a compra de passagens aéreas, pagamentos de diárias de servidores, contratos e contratações por seis meses. "É hora de chorar menos e fazer mais... falar menos e fazer mais, sem vitimização", afirmou.

Indagado sobre o decreto, o chefe da Casa Civil, Marcio Belolchi, afirmou que, apesar de não poder ser chamada tecnicamente de uma moratória, o decreto tem o mesmo objetivo de uma medida como essa, porque suspende o pagamento das dívidas. “É uma medida cautelar que o governo está tomando justamente para priorizar em especial os servidores do Estado, não é economia para fazer caixa (...)  o que o decreto esta pretendendo abordar são os restos a pagar, e não sabemos quanto é em relação a fornecedores, para fazer com que não haja um desembolso  monstruoso, que comprometa as finanças”, explicou, dizendo que devem iniciar negociações com os credores para evitar possíveis ações judiciais.

“Sartori machista”
Após a posse, na qual proferiu um discurso de mais de 20 minutos, Sartori enfrentou um protesto ao deixar a Assembleia Legislativa. Cerca de 20 manifestantes gritavam contra a extinção da Secretaria de Políticas da Mulheres. "Sartori, machista, não acaba com a minha conquista", diziam em frente a saída da casa legislativa estadual, enquanto que partidários do novo governador respondiam: “adeus, PT, adeus, PT!”, como forma de provocar as jovens que se manifestavam ali.

O governador passou em frente à manifestação, mas nada falou sobre o que acontecia, e seguiu a caminhada de poucas dezenas de metros ao Palácio Piratini, onde participou de uma segunda fase da cerimônia de posse.

O ex-governador Tarso Genro durante posse do governador eleito do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori em Porto Alegre (RS), nesta quinta-feira (01)
O ex-governador Tarso Genro durante posse do governador eleito do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori em Porto Alegre (RS), nesta quinta-feira (01)
Foto: André Antunes / Futura Press
Frieza
Na cerimônia no Piratini de transmissão de cargo, Tarso foi sucinto nas palavras, e, em cinco minutos, agradeceu sua equipe, desejou um bom governo para Sartori, e lembrou do pacto com ex-governadores, que ajudou na renegociação da dívida do Estado. “Saí do do governo de cabeça erguida, como o senhor entra e como o senhor certamente um dia sairá. Meu abraço fraterno, meu respeito, e desejo de que faça um bom governo”, afirmou Tarso.

Durante toda a cerimônia, Tarso manteve a mesma expressão sisuda, sorrindo apenas ao cumprimentar Sartori após o discurso do novo governador.

“Temos que ser mais discretos nos anúncios, na publicidade, e mais eficientes nos resultados”, afirmou o novo governador, repetindo em seus discurso a defesa da melhoria dos serviços públicos, e a união com a sociedade. “Todos por todos e que Deus nos proteja”, afirmou o novo governador em seus segundo discursos que precedeu a posse dos secretariado e a primeira reunião dos titulares das pastas em sua gestão.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade