1 evento ao vivo

Governo do RS parcela salários e PM quer prisão de Sartori

Primeiro depósito foi feito nesta sexta-feira e os próximos pagamentos estão previstos para os próximos dias 13 e 25

31 jul 2015
12h29
atualizado às 13h13
  • separator
  • comentários

O governo do Rio Grande do Sul oficializou o parcelamento dos salários de servidores públicos nesta sexta-feira. Foi depositado o valor de R$ 2.150,00. Um novo pagamento de R$ 1 mil está previsto para até o próximo dia 13 e o restante até o dia 25. Logo depois do anúncio policiais prometeram não sair às ruas e greves de outras categorias começam a ser deflagradas a partir de segunda-feira, além de um pedido de prisão e sequestro de bens do governador José Ivo Sartori, feito pela Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), que representa policiais militares gaúchos.

José Ivo Sartori, governador do Rio Grande do Sul
José Ivo Sartori, governador do Rio Grande do Sul
Foto: Agência Brasil

Siga o Terra Notícias no Twitter

O anunciou foi feito pelo secretário da Fazenda Giovani Feltes (sem a presença do governador José Ivo Sartori) que justificou que o pagamento ocre por falta de “materialidade”, em um governo que acumula um déficit de R$ 360 milhões. De acordo com ele, existe a possibilidade de que os repasses da União para o Estado sejam prejudicados por conta de atrasos no pagamento da dívida estadual com o governo federal.

“É possível que haja bloqueios neste mês...”, afirmou completando que a disposição inicial é “pagar a folha para depois pensarmos em pagar a dívida com a União, mas torcemos para que que não haja bloqueios”, afirmou.

No entanto, ele afirmou que as datas apresentadas para o parcelamento 13 e 25 de agosto são limites, o que significa que o pagamento pode ser antecipado, afirmou, citando o exemplo de outros atrasos que foram pagos antes do prazo previsto.

“Não dá para dizer com precisão a data. Agora se observarmos o que foi explanado, colocamos datas limites e o pagamento a ser complementado na parcela do dia 13 pode ocorrer no dia 11, 12... Deus queira, talvez antes. O mesmo dar-se-á no dia 25”, disse o secretário pedindo a ajuda divina e utilizando uma conjugação verbal incomum.

O procurador-Geral do Estado, Euzébio Fernando Ruschel, explicou que existem mais de 20 decisões liminares em favor de diferentes categorias de servidores que garantem o pagamento, mas afirmou que o Executivo estadual recorre das decisões no STF. O julgamento final da questão deve ocorrer na semana que vem, como afirmou o presidente do Superior Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, nesta semana em visita ao Estado.

“A situação que era difícil em maio piorou em julho e ficou ainda mais latente e presente. Essas informações estamos repassando aos ministros do STF, com ajuda dos memoriais, com balanços patrimoniais que mostram que a situação é dramática e caótica”, disse.

Policiais pedem prisão do governador
Ainda ontem, uma das associações que representam Policiais Militares do Rio Grande do Sul entrou com um pedido de prisão e sequestro de bens do governador José Ivo Sartori pelo descumprimento de liminar judicial que impedia o parcelamento salarial dos servidores. 

 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade