0

PSB de Eduardo Campos confirma aliança com Marina Silva para 2014

5 out 2013
13h32
atualizado às 18h05
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) confirmou neste sábado a aliança com  a Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva, que teve o pedido de registro negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na quinta-feira. Em nota, o PSB afirma que o partido e a “Rede Sustentabilidade anunciam a formação de coligação política e eleitoral para as eleições de 2014”.

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/sopa-de-letrinhas-da-politica-brasileira/" data-cke-764-href="http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/sopa-de-letrinhas-da-politica-brasileira/">Sopa de letrinhas da política brasileira</a>

O presidente Nacional do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e a ex-senadora Marina Silva, uma das fundadoras da Rede, agendaram uma entrevista coletiva para a tarde deste sábado, na qual serão divulgados os detalhes da aliança. Marina poderá se candidatar ao Planalto, assumir a posição de Vice de Eduardo Campos ou apenas apoiar o partido do governador.

A expectativa, porém, é de que a ex-senadora anuncie sua filiação ao PSB. Dessa forma, Campos e Marina formariam a principal chapa eleitoral de oposição à presidente Dilma Rousseff nas eleições do ano que vem. A estratégia é montar uma “aliança programática” com o PPS, presidido pelo deputado federal Roberto Freire, e a estrutura ainda não oficializada da Rede Sustentabilidade.

As negociações de Marina com Campos e Freire se estreitaram na noite de ontem, após a ex-senadora convocar uma coletiva à imprensa para dizer que ainda não havia chegado a uma decisão sobre seu futuro político. Em sua fala, no entanto, Marina já dava sinais de que gostaria de uma solução que quebrasse com a polaridade vista nas últimas eleições entre PT e PSDB.

O acordo costurado ao longo da madrugada contou com o apoio dos senadores Pedro Simon e Jarbas Vasconcelos, ambos do PMDB, mas ligados a Marina. A ex-senadora ficou reunida com seus apoiadores até as 4h da manhã. Pela manhã, Marina se reuniu com Freire e comunicou sua estratégia. A conversa com Campos, que chegou a Brasília na manhã de hoje, deve ocorrer no início da tarde.

Nas conversas ficou decidido que, num primeiro momento, não se falará sobre a candidatura à presidência da República, permanecendo tanto Campos quanto Marina na condição de pré-candidatos. A definição será dada mais adiante, provavelmente de acordo com a posição de cada um nas pesquisas de opinião. No momento, Marina Silva está em segundo nas sondagens para a eleição do ano que vem, com índices que variam de 25% a 16%, enquanto o governador de Pernambuco está em quarto lugar com cerca de 5% dos votos. 

Marina divulga vídeo explicando à Rede filiação ao PSB

 

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/sopa-de-letrinhas-da-politica-brasileira/" href="http://noticias.terra.com.br/brasil/infograficos/sopa-de-letrinhas-da-politica-brasileira/">Sopa de letrinhas da política brasileira</a>
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade