0

Procuradoria pede suspensão de Twitter do governador da BA

22 fev 2010
21h14
atualizado às 21h31

A Procuradoria Regional Eleitoral da Bahia (PRE-BA) pediu que o governador do Estado da Bahia, Jaques Wagner (PT), seja condenado a pagar multa, que pode variar entre R$ 5 mil e R$ 25 mil, por propagada eleitoral antecipada em sua página de microblog no Twitter, e que as mensagens sejam bloqueadas por 24 horas, segundo informou a procuradoria nesta segunda-feira.

A representação foi feita pelo PMDB e foi acolhida parcialmente pela procuradoria. Segundo o pedido feito pela legenda, na condição de governador, Jaques Wagner mantém uma página no Twitter, na qual enaltece programas e obras de sua gestão, além de divulgar notícias da candidatura à reeleição. De acordo com o PMDB, o material é divulgado por funcionários da Assessoria de Comunicação Social do Governo do Estado da Bahia (Agecom).

O pedido liminar do PMDB de suspensão das mensagens postadas no Twitter, ou em qualquer outro meio, foi negado pelo Tribunal Regional eleitoral.

Segundo a procuradoria, estão postadas no Twitter mensagens como: "Prefeito de Alagoinhas declara em praça pública apoio ao governador Jaques Wagner", "Wagner entrega mais três postos de saúde no município de Ribeirão do Lago", "Sobre política, Wagner admite conversas com César Borges. Porém, afirmou, ainda não há nada definido sobre a participação do senador na chapa" e "Wagner fala sobre a grande ocupação dos hotéis baianos como resultado da política do governo de incentivo ao turismo".

Segundo o procurador regional Eleitoral, Sidney Madruga, o governador da Bahia é "notório pré-candidato à reeleição, agiu de forma deliberada no sentido de associar as ações políticas do Governo ao seu nome e à sua imagem, com nítidos objetivos eleitorais, sempre buscando realçar os seus atributos como administrador".

Fonte: Redação Terra
publicidade