0

Preta Gil diz ser bissexual e chama Bolsonaro de 'banda podre'

17 mai 2011
12h32
atualizado às 16h19
Claudia Andrade
Direto de Brasília

Ao participar nesta terça-feira do 8º seminário LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais) na Câmara dos Deputados, a cantora Preta Gil disse ser bissexual assumida e classificou o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) de "banda podre" entre os parlamentares. "Em todo lugar que a gente frequenta tem a banda podre. E aqui tem um deputado que é a banda podre. Eu não quero e não vou citar o nome dele, porque o que ele quer é Ibope, o que ele quer é aparecer às nossas custas", disse.

Preta Gil assumiu bissexualidade e atacou Bolsonaro em seminário do movimento LGBT na Câmara
Preta Gil assumiu bissexualidade e atacou Bolsonaro em seminário do movimento LGBT na Câmara
Foto: Beto Oliveira / Agência Câmara

A cantora garantiu que vai "trabalhar para fazer com que ele não seja reeleito no Estado do Rio de Janeiro". Preta Gil foi convidada para o seminário depois de protagonizar uma polêmica com o deputado Bolsonaro, que, em entrevista ao programa CQC , da Bandeirantes , fez duras críticas à cantora, chamando-a de promíscua. "Com esse episódio, não me sinto diminuída. Eu fui fortalecida. É assim que a gente vai saber a cara dos nossos inimigos, e a gente vai ter que lutar com eles. Mas a gente vai lutar com a alegria, com a música e, felizmente, com o Legislativo, que está aqui", disse a cantora.

Ao se dizer que é bissexual "com muito orgulho", Preta Gil foi aplaudida de pé pelo público que acompanha o seminário e disse que se expõe por não ter nada a esconder. "Eu pago meus impostos, crio meu filho com dignidade".

A cantora também fez uma crítica contra o que chamou de "pseudo-humoristas". "Brasília está sempre cheia de pseudo humoristas muitas vezes ajudando a expor, a esclarecer, outras vezes nem tanto. Muitas vezes colocando a gente pra baixo, diminuindo nossa autoestima".

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade