0

Posse de Dilma em Brasília terá alterações em caso de chuva

31 dez 2010
19h05
atualizado às 19h20
  • separator
  • comentários
Luciana Cobucci
Direto de Brasília

Prevendo a chuva que é presença certa em Brasília nos meses de dezembro e janeiro, a equipe de coordenação da posse da presidente eleita, Dilma Rousseff, deixou um "plano B" preparado caso chova na capital federal neste sábado. A princípio, Dilma e o vice-presidente eleito, Michel Temer, desfilarão em dois carros abertos desde a Granja do Torto - uma das residências oficiais da Presidência - até o Congresso Nacional, onde ambos farão um juramento à Constituição Federal. No Congresso, Dilma e Temer também serão declarados empossados.

Após o juramento, previsto para as 14h30, presidente e vice seguem para a rampa principal da área externa, onde acompanham a execução do Hino Nacional seguido de uma salva de 21 tiros. Em caso de chuva, essa parte da cerimônia pode ser transferida para uma área externa coberta. A ida do Congresso ao Palácio do Planalto também pode ocorrer em carro fechado. Não será necessária a troca de carros: ambos os automóveis que levarão Dilma e Temer possuem capota retrátil, que pode ser levantada em caso de chuva.

Ao chegar ao Palácio do Planalto, Dilma e Temer subirão a rampa do prédio e serão recebidos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na área interna do Palácio. A passagem da faixa presidencial será feita no Parlatório, que recebeu uma cobertura transparente para proteger Lula e Dilma da chuva.

Após essa cerimônia, Dilma acompanhará Lula até o alto da rampa e de lá se despede do ex-presidente. Em caso de chuva, a cerimônia da rampa será cancelada e ocorrerá no interior do Palácio do Planalto.

Finalmente, Dilma e Temer, então presidente e vice empossados, seguem para um coquetel no Palácio do Itamaraty oferecido para autoridades nacionais e estrangeiras e chefes de Estado, além de representantes diplomáticos convidados para a posse.

Redação Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade