0

Planalto: é "impossível" rastrear responsável por alteração

8 ago 2014
16h28
atualizado às 19h05
  • separator
  • comentários

A Presidência da República lamentou, por meio de nota oficial, a alteração os perfis na Wikipedia dos jornalistas Míriam Leirão e Carlos Alberto Sardenberg com informações críticas, mas alegou ser impossível identificar o responsável pelas alterações. Segundo reportagem do jornal O Globo, IP 200.181.15.10 (IP é um número de identificação digital que possibilita saber de que rede foram feitas as alterações), de onde partiram as mudanças, é o da Presidência da República.

"Após consulta à Secretaria de Administração da Presidência, constatou-se que é tecnicamente impossível identificar os responsáveis pelas modificações nos perfis dos jornalistas. Isso porque os conteúdos da rede de internet de computadores do Palácio do Planalto, até julho deste ano, eram arquivados por no máximo seis meses”, explicou a Presidência por meio da nota. Como as edições ocorreram em maio de 2013, o Planalto afirma que “não é possível identificar as máquinas utilizadas para estas alterações”.

Conforme a Presidência, outro complicador é o fato de que o usuário poderia ter usado a conexão sem fio do Palácio do Planalto, “ou seja, qualquer pessoa, mesmo que estivesse em visita ao Palácio do Planalto, poderia, em tese, ter realizado as alterações”.

Apesar da alegação da Presidência, em maio de 2013 o Planalto não oferecia rede wifi a visitantes. Para acessar as redes na época era necessário alterar configurações específicas de rede e senha. Uma rede sem fio aberta a visitantes só foi oferecida durante a Copa do Mundo, quando Brasília recebeu um número elevado de turistas que visitava o palácio.

Na nota, a Presidência afirmou que a partir de julho deste ano um novo software foi instalado e triplicou a memória do servidor do Palácio do Planalto, o que permite arquivar por mais tempo todas as operações dos mais de 3,7 mil computadores vinculados à Presidência.

Mais tarde, a Secretaria-Geral da Presidência, responsável por assuntos administrativos do Palácio do Planalto, contradisse o primeiro comunicado, da Secretaria de Imprensa, e comunicou que será instalada uma investigação, com prazo de 60 dias, para apurar o ocorrido. A pasta esclarece ainda que a segurança da informação na Presidência é regida por normas específicas que trata do uso de seguro de recursos computacionais.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade