0

PF pede desdobramento de operação sobre o mensalão do DEM

18 ago 2010
10h28

A Polícia Federal (PF) entregou à Procuradoria Geral da República (PGR), no fim da tarde de segunda-feira, o inquérito da operação Caixa de Pandora, que investiga o suposto esquema de pagamento de propinas no governo do Distrito Federal, conhecido como "mensalão do DEM". Segundo a assessoria de imprensa da PGR, a PF pede no relatório que a procuradoria autorize o desdobramento das investigações em outros inquéritos paralelos.

Ainda de acordo com a assessoria, o material já está sob análise da sub-procuradora-geral da República Raquel Dodge, que não deu maiores detalhes sobre os motivos do pedido da PF. A sub-procuradora também recebeu as caixas com os laudos periciais referentes às investigações.

Entenda o caso
O mensalão do governo do DF, cujos vídeos foram divulgados no final do ano passado, é resultado das investigações da operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. O esquema de desvio de recursos públicos envolvia empresas de tecnologia para o pagamento de propina a deputados da base aliada.

O ex-governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) aparece em um dos vídeos recebendo maços de dinheiro. As imagens foram gravadas pelo ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, que, na condição de réu em 37 processos, denunciou o esquema por conta da delação premiada. Em pronunciamento oficial, Arruda afirmou que os recursos recebidos durante a campanha foram "regularmente registrados e contabilizados".

As investigações da Operação Caixa de Pandora apontam indícios de que Arruda, assessores, deputados e empresários podem ter cometido os crimes de formação de quadrilha, peculato, corrupção passiva e ativa, fraude em licitação, crime eleitoral e crime tributário.

Fonte: Redação Terra
publicidade